Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Pacheco Pereira diz que “para já” não apoia qualquer candidato a Presidente

  • 333

Luís Barra

Em entrevista à Antena1, o historiador elogia Marcelo Rebelo de Sousa e diz que "até pode vir a ser um bom apoio para um governo de esquerda"

O social democrata Pacheco Pereira afirmou esta terça-feira que, "para já", não apoia qualquer candidato às eleições presidenciais e reconhece ser incómoda a sua situação no PSD.

Em entrevista à Antena1, Pacheco Pereira esclarece que “uma coisa é participar em sessões programadas, outra diferente é apoiar essas candidaturas”, e diz que se vier a tomar posição, isso só irá acontecer na segunda volta. Mas elogia Marisa Matias, Sampaio da Nóvoa e Marcelo Rebelo de Sousa pela campanha que considera corajosa.

A prevista participação de Pacheco Pereira no Fórum de Ideias para um País Mais Justo e Solidário promovido por Marisa Matias, candidata com o apoio do Bloco de Esquerda, provocou críticas dos sociais-democratas.

À Antena1, o historiador elogia Marcelo Rebelo de Sousa e diz que "até pode vir a ser um bom apoio para um governo de esquerda", acrescentando que corresponde àquilo que era o PSD e "que hoje infelizmente não é".

Pacheco Pereira confessa estar desconfortável "neste PSD", lembrando que Sá Carneiro "nunca quis que este fosse um partido de direita" e defendendo a necessidade de construir um novo centro político.

Questionado acerca da sua opção por continuar a ser do Partido Social Democrata, o ex-líder parlamentar responde que é uma dúvida que coloca a si próprio muitas vezes, mas realça que evita choques com os estatutos partidários e nunca apoiou qualquer candidatura contra o partido, "o que não significa que apoie a candidatura do PSD".

Notícias divulgadas esta terça-feira referem que alguns dirigentes do PSD consideram que o historiador devia tomar a iniciativa de sair do partido. "Na vida política de Pacheco Pereira, a única coisa que é incoerente é continuar a ser militante do PSD", refere Duarte Marques, em declarações ao jornal i.

O ex-dirigente social-democrata Ângelo Correia transmite que "Pacheco Pereira deseja ser provocado e ser mártir". "A vontade dele é manter-se no PSD e esperar que o partido lhe aplique alguma sanção".

"Eu também sei que há muito mais gente no PSD que concorda com aquilo que eu digo do que as pessoas imaginam", salientou à Antena1 Pacheco Pereira.