Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

“A expressão ‘saída limpa’ foi um resultado pequeno para uma propaganda enorme”

  • 333

Marcos Borga

Ministro das Finanças, Mário Centeno, garante que não se vai esconder atrás de “desculpas e justificações”, mas já foi avisando que estudou bem a realidade económica do país e que a mudança de políticas que este Governo propõe será “responsável”

Cristina Figueiredo

Cristina Figueiredo

Jornalista da secção Política

"Não vendemos ilusões nem apresentamos quimeras. Medimos economicamente todas as propostas que fizemos", afirmou o ministro das Finanças esta quarta-tarde, no debate do programa do Governo. Um estudo "atento e detalhado da realidade" que lhe permitiu afirmar que, perante a situação encontrada, "a expressão 'saída limpa' foi um resultado pequeno para uma propaganda enorme".

Face a um "crescimento anémico, uma diminuição inédita dos salários e um aumento nunca visto da emigração", Mário Centeno prometeu "um tempo novo" mas com "responsabilidade". "Não recuperamos competitividade pelo empobrecimento", disse, assegurando, porém, que "o objetivo essencial de qualquer governação é assegurar finanças públicas equilibradas".

Comprometeu-se a apresentar o Orçamento do Estado para 2016 "o mais rapidamente possível". "Não é desejável que o país esteja um tão longo período sem esse instrumento essencial para a governação." Antecipando que esse será o primeiro passo para cumprir os objetivos que o Governo PS propõe atingir: "O aumento do rendimento disponível das famílias; o alívio da carga fiscal sobre trabalhadores e empresas; a melhoria das condições de investimento; o combate à pobreza; a garantia de serviços e bens públicos essenciais".