Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Programa de Governo no 1.º Conselho de Ministros de Costa

  • 333

José Carlos Carvalho

Depois de aprovado na reunião ministerial desta manhã, agendada para as 9h30, o programa do XXI Governo será discutido na terça e na quarta-feira da próxima semana na Assembleia da República, conforme ficou decidido em conferência de líderes

O primeiro Conselho de Ministros do XXI Governo Constitucional realiza-se na manhã desta sexta-feira, com início às 9h30, e destina-se à aprovação do programa de Governo, disse à Lusa fonte oficial do Partido Socialista.

Depois de aprovado em Conselho de Ministros, o programa de Governo será discutido na terça e na quarta-feira da próxima semana na Assembleia da República, conforme ficou decidido em conferência de líderes.

O documento tem por base o programa eleitoral do PS, mas acrescenta algumas das medidas acordadas com Bloco de Esquerda, PCP e o Partido Ecologista “Os Verdes”. Após ter surgido uma corrente socialista desfavorável à assinatura dos acordos à esquerda, liderada por Francisco Assis, o programa acabou por ser aprovado na Comissão Nacional do partido, no início deste mês, por uma ampla maioria dos votos.

Posse mostrou fricção entre Costa e Cavaco

O Executivo liderado por António Costa, que tem o apoio dos restantes partidos de esquerda apesar de estes não estarem representados no elenco governativo, tomou posse na tarde desta quinta-feira.

Embora este tenha sido o final de um período de impasse político que já durava desde 10 de novembro, quando os partidos de esquerda derrubaram o segundo Governo de Passos e Portas através de uma moção de rejeição de iniciativa PS, os discursos de Cavaco Silva e António Costa denotaram que a nova fase política pode ainda não ser de paz.

Enquanto o novo Governo tomava posse e o primeiro-ministro falava de “sarar as feridas”, Cavaco Silva aproveitou para relembrar que não abdica de “nenhum dos poderes” que a Constituição lhe confere, revelando não estar totalmente esclarecido em relação à “inédita” solução governativa encontrada pela esquerda. Costa retaliou, sublinhando que o Executivo “provém da Assembleia da República e a ela responde politicamente”.