Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Desde Santana que não havia um Governo tão grande. O tamanho conta?

  • 333

Rui Duarte Silva

Governo anunciado por António Costa tem 18 ministros (incluindo ele próprio). Em democracia, só Santana Lopes teve um Executivo maior

Martim Silva

Martim Silva

Diretor-Executivo

O elenco do novo Governo, o XXI da era constitucional, foi esta terça-feira conhecido (embora não de forma oficial, já que Belém ainda não o divulgou). Dele constam 18 ministros, incluindo o primeiro-ministro António Costa. Se for de facto empossado, este será o segundo maior Governo da história da democracia portuguesa em número de ministros. Será que o tamanho conta?

A eficácia e competência de um Executivo dificilmente consegue ser medida simplesmente pelo número de pastas à mesa do Conselho de Ministros. Mas o tema acabou por se tornar politicamente relevante nos últimos anos, marcados por forte austeridade, depois de Passos Coelho ter feito da redução do tamanho do Executivo uma bandeira política.

O seu Governo, em aliança com Paulo Portas, começou por ter 12 ministros (Passos incluído) mas acabou por ir "engordando" ao longo do tempo. Quando a última legislatura chegou ao fim, já eram 15 os ministros ao todo. E nesta, o atual Governo, que agora chega ao fim pouco tempo depois de ter nascido (ainda está em funções, embora apenas de gestão, depois de ter caído no Parlamento) já vai com 16 ministros.

O Governo liderado por António Costa que agora foi conhecido, tem na criação e separação de várias pastas a explicação para ser tão volumoso: Educação e Ciência voltam a ser ministérios autónomos, assim como a Agricultura e o Mar; a Cultura volta a ter ministério. E a Modernização Adminitrativa é um ministério novo.

Santana Lopes e Jorge Sampaio à conversa na atualidade, 11 anos depois do Governo do primeiro ter caído por decisão do então Presidente da República

Santana Lopes e Jorge Sampaio à conversa na atualidade, 11 anos depois do Governo do primeiro ter caído por decisão do então Presidente da República

José Carlos Carvalho

Se olharmos para o que foram os Governos ao longo destes 40 anos, constata-se que só o Executivo liderado por Pedro Santana Lopes (2004-2005), de vida curta, teve mais ministros: começou com 20 e terminou com menos um, depois da saída de Henrique Chaves.

Ao lado dos 18 ministros do novo elenco temos vários exemplos históricos: o segundo Governo de António Guterres (99-2002), o primeiro de Francisco Pinto Balsemão, no início dos anos 80, e o primeiro de Mário Soares, que foi por sua vez o I Governo Constitucional.

No polo oposto, os Governos mais pequenos destas quatro décadas, em número de ministros, foram, além do de Passos Coelho, o primeiro de Cavaco Silva (85-87) e o de Francisco Sá Carneiro. Ambos com 14 ministros.

[Os dados completos sobre a composição dos vários governos constitucionais podem ser consultados no portal do Governo]

  • Um Governo teso

    Análise. António Costa preparou um Governo de combate para uma governação em combate. Com muita gente do Norte, algumas surpresas, muita gente da gesta Sócrates, seguristas nem vê-los. O que esperar de quem vai mandar no país

  • O Presidente pode vetar algum ministro?

    É um facto pouco conhecido ou lembrado, mas o Presidente da República tem poderes para vetar ministros. É muito pouco habitual, mas tanto Mário Soares como Jorge Sampaio usaram esse poder discricionário. Sampaio até usou esse poder mais que uma vez. E sem grandes explicações

  • Quem são, o que pensam e o que disseram os 17 ministros de Costa

    António Costa não perdeu tempo: no mesmo dia em que foi indigitado primeiro-ministro por Cavaco Silva, o líder socialista enviou para Belém a lista de ministros e secretários de Estado. Há surpresas - a escolha de Francisca Van Dunem para a Justiça é uma das maiores -, a Educação terá um dos mais novos ministros de sempre, há regressos anunciados - Vieira da Silva, Ana Paula Vitorino, Augusto Santos Silva, entre outros - e estreias de nomes conhecidos - João Soares ou Azeredo Lopes. Há três ex-ministros de Sócrates, quatro mulheres e 17 ministérios. Este é o perfil - um a um - dos 17 ministros e do primeiro-ministro (e juntamos ainda três secretários de Estado)

  • Marcelo para Costa: “As maiores felicidades”

    É mais do que parabéns. São desejos de “felicidades, sendo certo que essas suas felicidades são felicidades para Portugal”. A Passos, Marcelo deixa um elogio: “Teve de governar num dos períodos mais complicados da história recente"