Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Bandeira francesa visível na fachada da Assembleia da República

  • 333

Assembleia da República

Até à próxima sessão plenária, na quarta-feira, a bandeira francesa estará visível na fachada da Assembleia, como sinal de solidariedade. Ferro Rodrigues manifestou “consternação” pelos atentados em Paris que fizeram 129 mortos na sexta-feira

Em sinal de solidariedade para com os franceses, no seguimento dos ataques em Paris na noite de sexta-feira, foi desfraldada, este sábado, uma bandeira de França na fachada principal da Assembleia da República. A bandeira irá manter-se visível até à próxima sessão plenária, na quarta-feira à tarde.

O Presidente da Assembleia da República, Eduardo Ferro Rodrigues, manifestou este sábado solidariedade, recordando a sua vivência na cidade francesa e o "espírito livre" de Paris.

"Foi com profunda consternação que tomei conhecimento dos ataques terroristas que ocorreram ontem [sexta-feira] à noite em Paris. Desde o início do ano esta é a segunda vez que a pátria da liberdade e dos direitos humanos é posta à prova. Manifesto o meu pesar às famílias das vítimas e a minha solidariedade com a França e com a cidade de Paris, cujo espírito livre e cosmopolita me habituei a admirar nos anos em que lá vivi", vinca Ferro Rodrigues em mensagem a que a agência Lusa teve acesso.

Este sábado de manhã, o Presidente da Assembleia da República enviou uma outra mensagem ao Presidente da Assembleia Nacional Francesa, Claude Bartolone, expressando em nome pessoal e do parlamento português "sentidas condolências" no seguimento dos ataques de sexta-feira.

Segundo fonte do gabinete de Ferro Rodrigues, a mensagem foi já transmitida pelo embaixador de França em Portugal, Jean-François Blarel, que agradeceu a "solidariedade expressa" pelo Presidente do parlamento português.

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) reivindicou este sábado, em comunicado, os atentados de sexta-feira em Paris, que causaram pelo menos 129 mortos, entre os quais um português, e 352 feridos, 99 em estado grave, segundo as mais recentes atualizações feitas pelas autoridades francesas.

Oito terroristas morreram, sete deles eram suicidas, que usaram cintos com explosivos para levar a cabo os atentados, segundo fontes policiais francesas.

Os ataques ocorreram em, pelo menos, seis locais diferentes da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e o Stade de France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como "ataques terroristas sem precedentes no país".