Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

CGTP. Proposta do PS “adequada” e com mais “estabilidade”

  • 333

MIGUEL A. LOPES/ Lusa

Arménio Carlos não está “de acordo com qualquer solução que passe pela continuação” do Governo PSD/CDS

O secretário-geral da CGTP-IN defendeu esta sexta-feira que a proposta do PS é a saída mais "adequada" e que trará mais estabilidade, recusando a continuação do executivo PSD/CDS-PP ou um executivo de iniciativa presidencial.

"Não estamos de acordo com qualquer solução que passe pela continuação deste Governo, mesmo que seja num quadro de Governo de gestão ou de um Governo de iniciativa presidencial porque isso iria manter a instabilidade e criar condições para uma situação transitória que não traria benefícios ao país", afirmou o secretário-geral da CGTP-IN, em declarações aos jornalistas no final de uma audiência com o Presidente da República, que está desde quinta-feira a ouvir os parceiros sociais.

Desta forma, acrescentou, a CGTP-IN transmitiu ao Presidente da República que considera que "a saída mais adequada" e trará mais confiança é que tome posse o Governo que o PS anunciou publicamente que dispõe de uma maioria parlamentar.

"Essa proposta pode ser aquela que pode dar estabilidade", sublinhou, contrapondo que a continuação em funções do atual executivo ou um Governo de iniciativa presidencial representaria "insegurança e intranquilidade", na medida em que serão sempre "situações provisórias".

E, acrescentou, neste momento os portugueses não precisam de situações transitórias, nem de "manobras políticas", como a declaração do primeiro-ministro de revisão da Constituição e realização de novas eleições.

"A solução passa por assegurar a estabilidade e tranquilizar os portugueses, respeitando a vontade do povo que foi expressa no dia 04 de outubro e também respeitando a vontade da cads da democracia, onde a maioria dos deputados considerou que devia apoiar uma proposta do PS", frisou.

O secretário-geral da CGTP-IN apelou ainda à rápida clarificação da atual situação política, considerando que "cada dia que passa" é "um dia de instabilidade".

"Muito rapidamente tem de ser encontrada uma solução", vincou.