Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Teixeira da Cruz fala em “usurpação eleitoral”

  • 333

MIGUEL A. LOPES/LUSA

A deputada social democrata diz que já há sinais do impato negativo de a formação de um novo Governo e considera que este poderá conduzir o país a um “novo regate”

A deputada social-democrata Paula Teixeira da Cruz acusou esta segunda-feira a oposição de “usurpação eleitoral” e sustentou que a formação de um executivo do PS apoiado por BE, PCP e PEV poderá conduzir a um “novo resgate”.

Numa intervenção em nome do PSD, no debate do Programa do Governo, no parlamento, a ex-ministra da Justiça alegou que a perspetiva de formação desse executivo já está a ter consequências: “São já visíveis esses sinais, na subida dos juros, na bolsa, no investimento”.

Perante risos nas bancadas da oposição, Paula Teixeira da Cruz afirmou: "Riam, riam, senhores deputados, que depois vão chorar".

No seu discurso, a deputada do PSD deixou uma mensagem para todos os deputados relativa à votação das moções de rejeição ao Programa do Governo, na terça-feira: “Devem votar em consciência, de acordo com o mandato que lhes foi dado - naturalmente, para aqueles que ainda a têm”.

Paula Teixeira da Cruz utilizou expressões como “usurpação eleitoral” e “caminhada trôpega para o poder” para qualificar o derrube do Governo PSD/CDS-PP prometido pelos quatro maiores partidos da oposição e a preparação de um executivo alternativo.

“Será um ato de enorme irresponsabilidade” e “um primeiro e fatal passo para a radicalização do país que a enorme maioria dos portugueses recusa”, considerou, falando também em “negociata política”, em “manipulação entre direções de partidos” e num “atropelo às regras” da democracia.

Por outro lado, a deputada do PSD alegou que “esta fação do PS perdeu as referências” e questionou a solidez do entendimento entre socialistas, bloquistas e comunistas: “Esses três partidos estão eles próprios partidos por dentro. Que solução de estabilidade nos querem, então, apresentar?”.