Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Trabalhadores com salário mínimo “recebem” mais um ordenado no próximo ano

  • 333

ARRANJOS. PS negoceia com PCP e BE

José caria e alberto frias

Aumento do salário mínimo e redução da taxa social única para os ordenados mais baixos resultam num aumento de 7,5% no próximo ano do salário líquido, ou mais 34 euros por mês. O equivalente a receber mais um vencimento no final do ano. Em 2018, o aumento acumulado pode ser de quase 19%, 85 euros por mês

Os trabalhadores que recebem salário mínimo serão dos mais beneficiados com o acordo entre PS, PCP e Bloco de Esquerda, se ele fechar mantendo o que já está negociado. É o que resulta da combinação de duas medidas em perspetiva: o aumento de salário mínimo de 505 para 535 euros em 2016 e a descida da taxa social única para salários inferiores a 600 euros.

O Expresso fez as contas e, mantendo todas as outras condições inalteradas, quem receba hoje um salário mínimo bruto de 505 euros descontando para a segurança social vai, já em 2016, ter um aumento líquido de quase 34 euros, o equivalente a mais 7,5%, ou mais 471 euros no final do ano (14 meses).

Cenário extremo dá mais dois salários e meio em 2018

O acordo à esquerda é gradual para as duas medidas. Por um lado, o corte da TSU para salários abaixo dos 600 euros é feito em 1,3 pontos percentuais ao ano até 2018 (taxa de 11% este ano baixa para 9,7% em 2016, para 8,4% em 2017, para 7,1% em 2018 e volta a ser de 11% em 2019). Por outro lado, a subida do salário mínimo também é gradual até 2019, passando dos atuais 505 euros para 535 euros em 2016, cerca de 555 euros em 2017, cerca de 570 euros em 2018 e 600 euros em 2019.

Fazendo as contas de modo a somar o efeito das duas medidas nos salários líquidos de quem recebe hoje 505 euros mensais, os aumentos amplificam-se ano após ano: do aumento de 34 euros mensal em 2016 passa-se para um aumento de 60 euros líquidos em 2017 face a este ano, aumento que sobe para 81 euros em 2018 face o este ano, terminando em 2019 num aumento do sálário líquido 85 euros mais elevado do que o atual. Nesse caso, que é um cenário extremo em que todas as subidas e todos os cortes são concretizados, quem recebe hoje 505 euros brutos terá um aumento líquido no final de um ano (14 meses) de 1.184 euros daqui a quarto anos. É mais 18% do que em 2015. Ou, de outra forma, é como quem está a salário mínimo receba em 2019 mais dois ordenados e meio do que hoje.