Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Álvaro Beleza critica “velhos tiques” da direção do PS

  • 333

Entre os 'seguristas' há alguns mais "céticos" com a influência negocial de Álvaro Beleza junto do novo líder partidário, António Costa

José Ventura

O dirigente socialista diz que vai estar presente na Comissão Nacional do próximo sábado por “sentido de dever e responsabilidade”. Mas critica o “receio de debate interno” e o “nervosismo” no PS

Álvaro Beleza confirmou esta quarta-feira que vai estar presente na reunião de sábado da Comissão Nacional do PS, que motivou o adiamento de um almoço entre vários socialistas na Mealhada, mas apontou o "nervosismo" da direção socialista.

"A Comissão Nacional vem responder a um pedido que já tinha feito nas comissões políticas, mas [a direção do PS] revela velhos tiques de receio de debate interno e nervosismo", vincou Álvaro Beleza à agência Lusa.

O socialista vai estar na Comissão Nacional por "sentido de dever e responsabilidade" mas lembra que a reunião foi marcada para um dia em que já se sabia publicamente que existiria um encontro entre socialistas na Mealhada promovido pelo eurodeputado e ex-líder parlamentar do PS Francisco Assis.

O socialista Álvaro Beleza, que integrou a direção do PS de António José Seguro e foi um dos responsáveis pela transição entre essa liderança e a de António Costa, falava sobre o almoço de militantes, organizado pelo eurodeputado Francisco Assis, que se opõem a um Governo de "frente de esquerda", que se iria realizar no sábado, na Mealhada.

O encontro de sábado, adiantou Álvaro Beleza, ia já com cerca de 300 inscritos.

O socialista reitera todavia que o pedido para a existência de uma Comissão Nacional do PS havia já sido feito nas várias Comissões Políticas Nacionais que se realizaram desde as eleições legislativas de 4 de outubro.

Logo na própria noite das eleições, Beleza havia realçado que uma Comissão Política era "poucochinho" para o momento do PS, que perdeu o sufrágio para a coligação PSD/CDS-PP.

Na sequência do último congresso nacional do PS, em novembro do ano passado, Francisco Assis - que avançou com a ideia do almoço entre militantes na Mealhada - abandonou todos os órgãos partidários.

Caso não haja uma abertura especial à participação nas duas reuniões de deputados e eurodeputados do PS, Francisco Assis deverá estar ausente tanto da Comissão Nacional de sábado, como da Comissão Política de domingo, onde serão discutidos os resultados das conversações entre socialistas, PCP e Bloco de Esquerda para a formação de um Governo alternativo de esquerda.

Francisco Assis disse esta quarta-feira à Lusa que decidiu cancelar o encontro da Mealhada "em nome dos superiores interesses do PS e da discussão nos órgãos do partido".
"Obviamente que a Comissão Nacional do PS, até pelo tema em debate, teria de se sobrepor ao nosso encontro [da Mealhada].

Sempre disse que era desejável debater na Comissão Nacional do PS a atuação do partido após as últimas eleições legislativas", frisou à Lusa.

Francisco Assis fez ainda questão de referir que alguns dos participantes no encontro da Mealhada são também membros da Comissão Nacional do PS, o que reforçou a sua decisão de cancelar o almoço da Mealhada.

Neste encontro, o ex-líder parlamentar do PS preparava-se para lançar uma corrente interna de militantes e simpatizantes socialistas que discordam de uma viragem à esquerda deste partido, principalmente, através da celebração de um acordo de Governo com o PCP e o Bloco de Esquerda.

Este sector do PS, pelo contrário, entende que os socialistas, na sequência dos resultados das últimas eleições legislativas, deveriam ser "oposição responsável" a um Governo PSD/CDS.

  • Costa força Assis a cancelar almoço de sábado

    Francisco Assis cancelou o almoço de sábado na Mealhada, com os militantes críticos do entendimento à esquerda, depois de António Costa ter convocado a Comissão Nacional do PS para hora que colidia com o encontro