Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Movimento Compromisso Democrático exige consenso alargado

  • 333

Num manifesto sob o título “Unir o que está dividido”, o movimento apela aos cidadãos para participarem num cordão humano com vista a exigir um compromisso entre a coligação Portugal à Frente e o Partido Socialista

O recém-criado Movimento Compromisso Democrático, cujos subscritores se assumem como independentes, agendou um cordão humano entre as sedes do PS, PSD, CDS e a Assembleia da República para o próximo dia 4 de novembro, pelas 19h.

O objetivo da iniciativa é exigir um entendimento alargado entre os partidos mais votados nas legislativas do passado dia 4 de outubro.

Num manifesto sob o título “Unir o que está dividido”, o Movimento apela à sociedade civil para participar nesta ação com vista a apelar a um compromisso entre a coligação Portugal à Frente e o Partido Socialista que garanta uma solução governativa “moderada”.

“Os acontecimentos dos últimos dias têm mostrado que precisamos de ir para a rua, de fazer ouvir a nossa voz e de exigir aos partidos políticos que assumam as suas responsabilidades”, pode ler-se no texto do manifesto.

Defendendo que é necessário um país com um “governo estável” e que garanta o equilíbrio das contas públicas e o combate às desigualdades, o manifesto sublinha também a importância de o país cumprir os seus compromisso.

“Sonhamos com um país que saiba estar à altura dos desafios e compromissos futuros, com um governo que procure os consensos duradouros de que tanto precisamos, em áreas como a Segurança Social, a Reforma do Estado, e o Sistema de Justiça”.

Na sua página no Facebook, o movimento já conta 2783 seguidores e apela à participação de todos no cordão humano. No Porto também haverá uma manifestação no mesmo dia.