Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Ferro conta com o apoio de “seguristas”

  • 333

A candidatura do socialista Ferro Rodrigues à presidência da Assembleia da República foi assinada pelo número máximo de proponentes, sendo os dois primeiros signatários o secretário-geral e presidente do PS, respetivamente António Costa e Carlos César

Marcos Borga

A candidatura de Ferro Rodrigues à presidência da Assembleia da República foi proposta por 46 deputados, entre os quais Eurico Brilhante Dias, João Soares, José Luís Carneiro e António Gameiro - que estiveram com António José Seguro nas primárias do ano passado

Cristina Figueiredo

Cristina Figueiredo

Jornalista da secção Política

A candidatura de Ferro Rodrigues à presidência da Assembleia da República foi entregue esta manhã na mesa do Parlamento, subscrita por 46 deputados (o número máximo permitido), incluindo membros da anterior direção parlamentar, presidentes de federação, cabeças de lista, o presidente do partido (e candidato à liderança parlamentar) Carlos César e o secretário-geral do PS António Costa.

Entre os subscritores encontram-se Eurico Brilhante Dias e João Soares (que integraram o Secretariado Nacional do PS com António José Seguro), assim como José Luís Carneiro (presidente da federação distrital do Porto) e António Gameiro (presidente da federação distrital de Santarém), todos eles destacados apoiantes de Seguro nas primárias do ano passado.

Se isto significa que o nome de Ferro Rodrigues obterá os 116 votos necessários para ser eleito presidente da Assembleia da República - na eleição que o opõe a Fernando Negrão, candidato pela direita, marcada para as 15h desta sexta-feira - é o que se verá. A eleição, recorde-se, é por voto secreto e nos meandros socialistas tem sido veiculada a hipótese de ser uma das únicas oportunidades para a minoria crítica de Costa poder dar "sinal de vida".

Se Ferro não for eleito à primeira, haverá uma nova eleição, ainda hoje. Se também não for aprovado à segunda (como aconteceu com Fernando Nobre em 2011), Costa deverá encontrar um outro nome para propor. E aí surge Alberto Martins (queesta manhã presidiu interinamente à sessão inaugural da XIII legislatura) como uma forte probabilidade de conseguir a maioria absoluta dos votos dos seus pares.