Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PAN “não está em condições” de apoiar Passos ou Costa

  • 333

Este foi o primeiro encontro entre o líder do PAN, que elegeu pela primeira vez nestas eleições representação parlamentar, e o chefe de Estado

Marcos Borga

O único partido pequeno que elegeu representação parlamentar nestas eleições esclareceu que não tem condições para concluir qual será a solução de Governo que oferece mais estabilidade

André Silva, o líder do partido Pessoas, Animais, Natureza (PAN), recusou esta quarta-feira apoiar para já qualquer uma das soluções de Governo que estão em cima da mesa. À saída da reunião desta tarde com o Presidente da República, André Silva explicou aor jornalistas que neste momento só poderia "especular" sobre uma decisão que caberá ao chefe de Estado.

Para o líder do PAN, o Governo que tomar posse deverá ser aquele que "oferecer mais condições de estabilidade". Uma equação que o deputado não consegue resolver: "Não estivemos presentes nas negociações com o Presidente da República e não temos condições para saber qual é a solução de Governo mais estável".

Esta foi a última das audiências entre Cavaco Silva e os partidos que elegeram deputados nas últimas legislativas. O PAN foi a surpresa das eleições, ao conseguir colocar pela primeira vez, na sua ainda curta História, um representante na Assembleia da República.

Cabe agora ao Presidente da República tomar uma decisão sobre quem será o próximo primeiro-ministro de Portugal. A coligação de direita foi a força política vencedora destas eleições, tendo Cavaco Silva encarregado o seu líder, Pedro Passos Coelho, de iniciar diligências no sentido de assegurar uma solução de Governo estável.

No entanto, os partidos de esquerda reclamam a maioria parlamentar, tendo António Costa confirmado esta terça-feira ao Presidente da República estar em condições para formar um Governo estável.

  • Verdes reiteram apoio a Governo socialista

    A porta-voz do Partido Ecologista “Os Verdes”, Manuela Cunha, sublinhou à saída da reunião com Cavaco Silva a importância do novo quadro parlamentar, recordando que estas foram umas eleições “legislativas” e não “governativas”

  • Costa quer ser indigitado já primeiro-ministro por Cavaco

    À saída de Belém, o líder do PS disse "estarem criadas as condições por parte do PS para uma solução de estabilidade". Um acordo político de princípios pode estar iminente e envolve um compromisso de legislatura. Mas, para já, só entre socialistas e bloquistas. Com o PCP as reuniões prosseguem, mas com menos desenvolvimentos e maior reserva

  • Catarina Martins: “Indigitar Pedro Passos Coelho será uma perda de tempo”

    Porta-voz do Bloco de Esquerda, que se reuniu com o Presidente da República, diz que o partido está “empenhado na viabilização de um novo governo”. Mais: “Criámos condições para uma solução estável”. E ainda: “Os reptos que o Bloco de Esquerda lançou tiveram uma resposta positiva da parte do Partido Socialista”. Declarações de Catarina Martins surgem depois de António Costa, que também se reuniu com Cavaco, ter dito que pretende ser indigitado já pelo Presidente da República

  • Passos pede “celeridade” a Cavaco e “responsabilidade” ao PS

    Um programa de Governo não chega. É preciso um Orçamento. Passos pede “celeridade“ ao Presidente da República e diz-se “persuadido de que o PS não deixará, no Parlamento, de assumir as suas responsabilidades”. Sem estabilidade, avisa, a recuperação económica fica em causa