Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Cavaco fecha ronda com partidos antes de decidir quem vai convidar

  • 333

O CDS esteve reunido com o Presidente da República na tarde de terça-feira

Marcos Borga

Esta quarta-feira, o Presidente da República reúne-se com os três partidos com quem ainda não falou sobre os resultados das últimas eleições. Depois, a grande decisão: quem irá Cavaco Silva nomear como primeiro-ministro?

O Presidente da República recebe esta quarta-feira e o PCP, o partido ecologista "Os Verdes" e o PAN, para terminar a ronda de audiências com todos os partidos que elegeram assento parlamentar nas últimas eleições. Cavaco Silva iniciou as reuniões esta terça-feira e já ouviu as três forças políticas mais votadas - a coligação de de direita, o PS e o Bloco de Esquerda.

Na tarde de terça-feira, depois de ter sido recebido pelo Presidente da República, Passos Coelho manifestou a sua expectativa de formar Governo com o CDS, dado que a coligação de direita foi a força política mais votada. Também Paulo Portas, à saída do seu encontro com Cavaco Silva, reforçou ser "evidente" que o passo seguinte na formação do Governo é a nomeação de Passos Coelho como primeiro-ministro, acusando António Costa de ser "um líder político à procura da sua sobrevivência".

Já António Costa, depois da reunião com Cavaco Silva, declarou estarem criadas condições para o seu partido "formar um Governo que disponha de um apoio maioritário na Assembleia da República". Costa já reuniu várias vezes tanto com PCP como com Bloco de Esquerda, numa série de encontros que considerou "produtiva". Por sua vez, a líder bloquista, Catarina Martins, confirmou à saída da sua audiência com Cavaco Silva que foram ultrapassadas divergências com o PS e que há condições para "uma alternativa estável" a um Governo de direita.

Aliados no continente através da coligação Portugal à Frente, PSD e CDS venceram as legislativas de 4 de outubro. No entanto, o resultado eleitoral entregou a maioria dos assentos parlamentares aos partidos de esquerda.

Cavaco Silva vê-se numa encruzilhada depois de ter, na semana passada, encarregado Pedro Passos Coelho de iniciar diligências para formar uma solução de Governo estável.

  • António Costa quer ser indigitado já por Cavaco

    À saída do encontro com o Presidente da República, António Costa disse que julga “estarem criadas as condições por parte do PS para uma solução de estabilidade”. O líder do PS defendeu ainda ser do interesse nacional “não prolongar uma situação de indefinição e de incerteza”, deixando claro que considera que deve ser indigitado já por Cavaco Silva

  • Catarina Martins: “Indigitar Pedro Passos Coelho será uma perda de tempo”

    Porta-voz do Bloco de Esquerda, que se reuniu com o Presidente da República, diz que o partido está “empenhado na viabilização de um novo governo”. Mais: “Criámos condições para uma solução estável”. E ainda: “Os reptos que o Bloco de Esquerda lançou tiveram uma resposta positiva da parte do Partido Socialista”. Declarações de Catarina Martins surgem depois de António Costa, que também se reuniu com Cavaco, ter dito que pretende ser indigitado já pelo Presidente da República

  • Passos pede “celeridade” a Cavaco e “responsabilidade” ao PS

    Um programa de Governo não chega. É preciso um Orçamento. Passos pede “celeridade“ ao Presidente da República e diz-se “persuadido de que o PS não deixará, no Parlamento, de assumir as suas responsabilidades”. Sem estabilidade, avisa, a recuperação económica fica em causa