Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

“Amei o parlamento.” Assunção Esteves despede-se “entre o pragmatismo de Sancho Pança e o idealismo de D. Quixote”

  • 333

Tiago Miranda

Agora que termina o mandato de presidente da Assembleia da República, Assunção Esteves foi alvo de uma despedida formal. Deputados do PSD, CDS-PP e PS aplaudiram de pé e os restantes (PCP, BE e PEV) sentados

A presidente da Assembleia da República mostrou-se esta quarta-feira emocionada em sessão da comissão permanente, na quase finda XII Legislatura, "entre o pragmatismo de Sancho Pança e o idealismo de D. Quixote", como ao longo de todo o mandato.

Após receber elogios e cumprimentos pelos quatro anos das diversas bancadas partidárias, Assunção Esteves agradeceu as palavras e despediu-se com um "até já" - porque nunca deixará "a política, entre o parlamento e o bairro", confessando o seu amor à atividade, com os deputados de PSD, CDS-PP e PS a aplaudirem de pé e os restantes (PCP, BE e PEV) sentados.

"Fui surpreendida por esta despedida formal", tinha admitido a também deputada do PSD, ao qual agradeceu a oportunidade de ter sido a primeira mulher a dirigir os trabalhos do parlamento, citando, tal como "na tomada de posse", a "metáfora de Cervantes" para resumir que tentou estar sempre "entre o pragmatismo de Sancho Pança e o idealismo de D. Quixote".

Depois de aprovados três pareceres da comissão para a Ética, a Cidadania e a Comunicação sobre deputados e seu estatuto, na sala do senado, Assunção Esteves deixou um "imenso abraço a todos" e sublinhou que "o lugar [presidente da Assembleia da República, no caso] não é um ponto de chegada, mas ponto de partida, que se constrói todos os dias".

"A política é amor ao mundo. Sinto imenso amor pelo mundo, pela democracia. A política é lugar onde, clamorosamente, jogamos a nossa existência", disse, antes de rematar: "Amei o parlamento".

A Assembleia da República saída das eleições de 04 de outubro reúne-se na sexta-feira e elege o novo presidente, competindo ao PSD a sugestão de um deputado que interinamente dirija os trabalhos até essa eleição se concretizar.