Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa reúne Comissão Política na quinta-feira

  • 333

Na terça-feira seguinte às eleições, António Costa recebeu um mandato da Comissão Política do PS para falar com todos os partidos cm assento parlamentar

José Caria

Com ou sem acordo com os partidos à sua esquerda, o líder socialista leva o desfecho das negociações à Comissão Política do PS

Cristina Figueiredo

Cristina Figueiredo

Jornalista da secção Política

A Comissão Política do PS está marcada para esta quinta-feira, às 21h30. António Costa vai levar o desfecho das negociações para a viabilização do próximo Governo à discussão do mesmo orgão partidário que lhe conferiu há quinze dias, por larga maioria, o mandato para dialogar com todas as forças partidárias com representação parlamentar. O único ponto da agenda é "análise da situação política".

Esta manhã, o PS voltou a reunir-se com o BE. Esta tarde ambos oa partidos serão recebidos pelo Presidente da República (que também recbe os representantes da coligação PSD/CDS). O PCP será recebido amanhã. E só concluída a ronda é que Cavaco SIlva comunicará ao país a sua decisão.

Costa iniciou o diálogo com as restantes forças políticas representadas no Parlamento logo após a Comissão Política socialista que se seguiu às últimas eleições. Já tiveram lugar vários encontros técnicos com Bloco de Esquerda e PCP, que o líder socialista consider estarem a correr "bem", depois de ter classificado as primeiras reuniões com os partidos à esquerda do PS como "positivas" e "produtivas".

Quanto às negociações com coligação de direita, os desentendimentos continuam a marcar os encontros, tendo António Costa acusado Passos e Portas de esconderem dados importantes sobre a situação do país. Já os líderes do PSD e do CDS têm insistido não estar disponíveis para "simulacros negociais", acusando Costa de liderar negociações de "faz de conta".

O líder socialista já veio esclarecer que recusou "desde o início" lugares num Governo de bloco central, mesmo tendo Paulo Portas posto o seu lugar como vice-primeiro-ministro à disposição.