Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Presidência demarca-se das notícias da imprensa

  • 333

Marcos Borga

Belém nega fontes da imprensa sobre atuação futura de Cavaco Silva. Jornais desta quinta-feira dividem-se: há quem escreva que o Presidente não dará posse a um governo de esquerda e há quem noticie o inverso

Luísa Meireles

Luísa Meireles

Redatora Principal

As decisões que o Presidente da República vier a tomar serão transmitidas diretamente em comunicação aos portugueses, ou através do chefe da sua Casa Civil, afirma a Presidência da República em comunicado.

O comunicado diz que é habitual em "épocas de decisões políticas de maior importância" ver os órgãos de comunicação social a procurarem "antecipar as decisões do Presidente da República, invocando fontes da mais diversa ordem".

A generalidade da imprensa desta quinta-feira alinha pela tese de que Cavaco deverá mesmo manter a tradição e empossar um Governo liderado pela força que venceu as eleições. Mas depois as teses quanto ao que se pode passar a seguir são contraditórias. O jornal "i" afirma de forma taxativa que Cavaco recusará dar posse a um Governo de esquerda e preferirá manter um executivo de gestão até deixar Belém. Só que a manchete do "DN" afirma rigorosamente o contrário, dizendo que o Presidente dará posse a um Governo de Costa depois de Passos ser chumbado no Parlamento.

  • De acordo com a Constituição, só depois de ouvir os partidos - e tendo em conta os resultados eleitorais - é que o Presidente pode nomear um primeiro-ministro para que este forme Governo

  • O grande dilema de Cavaco

    O Presidente da República deverá empossar Pedro Passos Coelho como primeiro-ministro. A coligação ganhou as eleições e tem direito a formar Governo. Mas Cavaco Silva contradirá as suas próprias exigências