Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo: "Novo Banco é uma batata frita. Não é bom para qualquer governo"

  • 333

Marcelo Rebelo de Sousa

José Carlos Carvalho

O ex-líder do PSD considera que o caso do Novo Banco é uma “bola de neve que caiu em cima da campanha eleitoral. E defende que Carlos Costa deve explicações sobre o processo. “Tem de ser resolvido rapidamente. Se não, apodrece”

Marcelo Rebelo de Sousa disse este domingo partilhar a opinião de António Horta Osório sobre a situação do Novo Banco: “Acho que é um problema de dano reputacional. Isto é uma prioridade. Tem de ser rapidamente resolvido. Se não apodrece”, declarou o antigo líder do PSD no seu espaço de comentário na TVI.

Na visão de Marcelo, o caso do Novo Banco constitui uma “bola de neve” que caiu em cima da campanha eleitoral, passando a ser utilizado como “instrumento político-partidário”: “Não digo que os lesados do BES estejam ao serviço de alguém pu a serem manipulados por alguém. Mas é evidente que quem quer bater pega neste exemplo”, sublinhou.

Segundo o comentador, o facto de a venda do Novo Banco ter sido adiada por duas vezes - depois de estar prevista para agosto e posteriormente para setembro - e a especulação criada à volta do processo não é positiva. “Isto não é bom para ninguém. Não é bom para os lesados do BES, não é bom para o banco, não é bom sistema financeiro e não é bom para o Governo, obviamente, qualquer que seja o Governo hoje ou amanhã. É uma batata frita. Por muito que o Governo diga que não tenha nada a ver com isto tem. Um Governo tem sempre a ver com um banco com um problema sistémico para o sistema financeiro do seu país”, sustentou.

Marcelo defende, por isso, que é fundamental que o Executivo encontre uma forma de resolver o assunto, embora considere que a primeira responsabilidade recai sobre o Banco de Portugal (BdP). “O BdP até certo ponto comprometeu-se, depois tirou o compromisso. (...)Convinha explicar aos portugueses, até porque está envolvido dinheiro público -(que vai ser recebido com juros e bons juros, mas por enquanto é dinheiro público -, que não há problema nenhum, e que se é para abrir um novo processo para haver novos bancos, que se diga o mais rapidamente possível”, rematou.

Recorde-se que a Anbang e a Fosun abandonaram as negociações para a compra do Novo Banco, sobrando apenas um interessado no negócio, a Apollo.