Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Costa diz que “palavra dada tem de ser palavra honrada”

  • 333

Octávio Passos / Lusa

O secretário-geral do PS sublinhou que o programa do seu partido “não são palavras que o vento pode levar”, estando “escrito e impresso” para que cada um possa “pedir contas ao longo dos próximos quatro anos”

O secretário-geral do PS disse este sábado que o maior desafio que se coloca à democracia portuguesa é o restabelecimento da relação de confiança entre Governo e cidadãos e declarou que “palavra dada tem de ser palavra honrada”.

Num discurso durante um almoço com apoiantes em Guimarães, após o qual se recusou a responder às questões dos jornalistas, o secretário-geral do Partido Socialista (PS), António Costa, disse não poder dar-se “ao luxo de andar aqui a prometer e a assumir compromissos que não esteja em condições de honrar no Governo”.

“A primeira coisa que um político tem que saber é que palavra dada tem de ser palavra honrada e é com base nisto que nós reconstruímos a confiança na democracia”, afirmou Costa, depois de, durante a manhã, ter passado por Vizela. António Costa sublinhou que o programa do PS “não são palavras que o vento pode levar”, estando “escrito e impresso” para que cada um possa “pedir contas ao longo dos próximos quatro anos”.

“Nós só assumiremos compromissos quando estudarmos bem a situação do país, quando soubermos bem com o que é que poderemos contar nos próximos quatro anos e só assumiremos compromissos quando tivermos a certeza de que cada uma destas medidas foi estudada, no seu peso, na sua conta e na sua medida”, afirmou o secretário-geral do PS. Isto porque: “fácil é ganhar uma eleição, o que é difícil é estar daqui a quatro anos outra vez a dar de novo a cara e a merecer de novo a vossa confiança, esse é que é o desafio”.