Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Ferreira Leite. Debate “pouco esclarecedor” e com muito passado

  • 333

Alberto Frias

A antiga ministra das Finanças recusa declarar um vencedor e um vencido no debate da última noite entre António Costa e Pedro Passos Coelho

Faltou “esclarecer” as pessoas, disse Manuela Ferreira Leite sobre o debate entre o Pedro Passos Coelho e António Costa que foi transmitido em simultâneo nos três principais canais na noite de quarta-feira. Para a antiga líder do PSD, não houve vencedor, porque o debate “não é uma luta de boxe ou um jogo de futebol”.

No habitual espaço de comentário na TVI 24, Ferreira Leite afirmou que um dos temas mais ausentes da noite foi a Segurança Social. O pouco que se falou não foi suficiente e pouco percetível: “Quer que seja sincera? Eu não percebi nada, mas admito que muitos possam ter percebi”.

Para a antiga ministra das Finanças, tanto o PS como a coligação de direita só “ganhavam com a clareza”. Acusa a Coligação Portugal à Frente (PàF) de uma “intencional falta de esclarecimento”, o que só “acentua a desconfiança ” nos portugueses em relação à Segurança Social, e lamenta que o tema não seja esclarecido “antes das eleições”.

Relativamente aos socialistas, Ferreira Leite diz que a “ proposta é muito complexa”, embora acredite “esteja lá tudo explicado, as contas todas feitas. Mas é muito complexa”.

“Houve imensos aspetos que não foram debatidos” e outro deles foi a Europa: “Como é possível, estando o país integrado na União Europeia, não se falar na Europa? Acho que não se pronunciou a palavra Europa uma única vez. Deste assunto não se falou com certeza”.

Ferreira Leite acrescenta que esta ausência da temática europeia não é “fazer uma análise séria“ do “que nos aconteceu e do que nos vai acontecer”.

Entre passado e futuro, a antiga líder dos sociais-democratas diz que trazer de José Sócrates para a campanha eleitoral “é desagradável”, “tem pouco sentido” e que a “coligação não tem nada a ganhar com isso”. Recordou ainda que ela própria e Paulo Rangel foram, provavelmente, quem mais criticou o antigo primeiro-ministro durante o seu governo.

Ferreira Leite apontou ainda o dedo aos moldes em que o debate foi conduzido, onde pareceu “que as perguntas eram mais importantes do que as respostas”. “Não gostei nada deste modelo de debate, que não permitiu que os candidatos debatessem entre eles”, rematou.