Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

O debate que permitiu a Costa demarcar-se de Sócrates

  • 333

Luís Barra

Passos Coelho usou e abusou das referências ao ex-primeiro-ministro. António Costa ía preparado para se demarcar: “Porque é que não vai a casa de Sócrates debater com ele?”

O frente a frente com Passos Coelho permitiu a António Costa demarcar-se de José Sócrates como nunca o tinha feito. O líder do PS deixou pelo menos quatro sound bites no Museu da Eletricidade, em Lisboa, onde decorreu o debate.

Primeiro: ''Os portugueses julgaram a herança (de Sócrates) em 2011 e nós (PS) reavaliámos as nossas propostas. Não propomos TGV nem segundas travessias do Tejo''. Segundo: ''Percebo que tenha saudades de debater com José Sócrates, mas agora tem-me a mim''. Terceiro: ''Porque é que não vai a casa de Sócrates debater com ele?''. E por fim: ''Não tenho previsto agradecer o apoio de José Sócrates''.

Ao isco do Syriza, que Passos lançou logo no arranque do debate, António Costa nem respondeu, conseguindo o impensável: que a Grécia - uma das grandes armas da coligação contra a esquerda - não fosse tema.

Marcelo Rebelo de Sousa, que analisou o debate na TVI 24, considerou que Costa ganhou. E explicou porquê: o líder do PS fez uma ''gestão política'' do debate, enquanto Passos fez uma gestão ''tecnocrática'' do mesmo. E com isso perdeu.