Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Miguel Macedo constituído arguido no caso dos vistos gold

  • 333

Nuno Fox

O interrogatório a Miguel Macedo foi interrompido esta tarde, sem data para ser retomado. O ex-ministro da Administração interna é suspeito pelos crimes de prevaricação e de tráfico de influência

A Procuradoria-Geral da República (PGR) anunciou esta noite que Miguel Macedo foi constituído arguido no caso dos vistos gold.

“No âmbito do inquérito onde são investigadas, entre outras, matérias relacionadas com a atribuição de vistos gold, o Ministério Público começou a ouvir, na qualidade de arguido, Miguel Macedo”, afirmou a PGR num comunicado enviado às redações.

O ex-ministro da Administração Interna começou a ser ouvido durante a tarde desta terça-feira no âmbito do processo dos vistos gold, mas o interrogatório foi interrompido sem data para ser retomado.

Miguel Macedo é suspeito pelos “crimes de prevaricação” e de “tráfico de influência”, de acordo com a mesma nota.

A audição ao antigo ministro surge na sequência do pedido de levantamento da imunidade parlamentar dirigido à Assembleia da República. Em julho, os deputados da comissão parlamentar de Ética, numa reunião extraordinária à porta fechada, decidiram levantar a imunidade ao ex-ministro da Administração Interna.

Foi o escândalo dos vistos gold que levou Miguel Macedo a demitir-se, a 11 de novembro de 2014. Na altura, o ministro garantiu não ser responsável por “nada do que está em causa nos vistos gold”, reconhecendo porém que “a sua autoridade ficou politicamente diminuída”.

  • PGR confirma interrogatório a Macedo

    Antigo ministro da Administração Interna do atual Governo é suspeito de três crimes de prevaricação de titular de cargo político e um de tráfico de influências