Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

“Partir pedra só nos meus doentes”

  • 333

Miguel Albuquerque não interrompeu as férias para a tomada de posse do novo secretário da Saúde por indicação do médico, que, por acaso, é precisamente o novo membro do Governo

Marta Caires

Jornalista

A cerimónia foi rápida, sem discursos e sem o presidente do Governo Regional, que está de férias no Algarve e não as interrompeu por ordem de médico que é também o novo secretário regional da Saúde. João Faria Nunes é a partir da tarde desta quarta-feira o mais recente membro do executivo de Miguel Albuquerque.

Honrado por integrar o Governo Regional, o secretário não foi muito específico sobre o que pretende para a Saúde, não disse se mantém a equipa ou se irá mexer numa secretaria que tem pouco mais de 100 dias de existência. Também não comentou a demissão do anterior secretário, nem os motivos dessa saída.

O projeto, o que está no programa de Governo, é para executar num sector onde falta um hospital e há constantes ruturas no fornecimento de medicamentos e vacinas. Ainda assim, quando perguntaram se “ia partir pedra” na Saúde, a resposta foi curta: “Desculpe, partir pedra só nos meus doentes”.

João Faria Nunes é urologista e foi o médico que operou Miguel Albuquerque há duas semanas, quando foi internado de urgência com uma crise provocada por um cálculo renal. Aliás, o novo secretário fez questão de sublinhar que a ausência do presidente do Governo da tomada de posse desta quarta-feira foi sugestão sua. Miguel Albuquerque terá querido interromper as férias no Algarve, mas foi desaconselhado para fazer melhor a recuperação da cirurgia.

Na tomada de posse, que teve lugar na Assembleia Legislativa, esteve o anterior secretário. Manuel Brito, que apresentou a demissão depois de se saber que tinha quotas residuais em clínicas privadas, assistiu à cerimónia e manifestou total disponibilidade para continuar a colaborar com o Governo e com o grupo parlamentar do PSD. No entanto, apesar de ter sido eleito deputado, não irá ocupar o lugar na Assembleia e já assinou a renúncia ao mandato.