Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Mota Soares recusa entrar em guerra de números. “Os critérios são os mesmos”

  • 333

Mota Soares enalteceu o trabalho feito nos últimos anos pelas instituições sociais no país

José Caria

Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social considera que a diminuição da taxa de desemprego é uma vitória do Governo. “Não entro na guerra de números porque os critérios são os mesmos quando estava o PS no Governo”, diz Pedro Mota Soares

Pedro Mota Soares destacou esta quarta-feira que a taxa de desemprego nunca esteve tão baixa nos últimos quatro anos e recusa entrar numa guerra de números com o PS.

“Temos que comparar o que é comparável. Hoje, o desemprego baixou em Portugal, apesar da troika, da recessão, do memorando. O desemprego não parava de subir desde 2011 e hoje está abaixo desse nível”, afirmou o ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social aos jornalistas.

“A boa notícia, em primeiro lugar, é que há mais 226 mil postos de trabalho do que no início de 2013, que foi o pico da crise", acrescentou.

O facto de a taxa de desemprego se ter fixado em 11,9% no segundo trimestre - o que equivale ao mais baixo nível desde 2011- , é segundo Mota Soares uma vitória para o Governo de coligação, sobretudo depois de se terem registado os “quatro piores anos da história democrática.”

“Eu por uma questão de respeito por quem está ainda numa situação de desemprego não entro na guerra de números. Já percebi que quando há uma boa notícia para o país, o PS fica azedo e amargo. Não entro nessa guerra de números, porque os critérios são os mesmos quando estava o PS no Governo”, indicou.

O ministro frisou ainda que a taxa de desemprego em Portugal situa-se pela primeira vez muito próxima da média da zona euro, quanto há um mês era o quinto país com a taxa de desemprego mais elevada". E garantiu que o Executivo pretende prosseguir uma política mais ativa a nível do emprego para ajudar os trabalhadores e as empresas. “Temos que trabalhar para dar confiança e esperança para quem ainda está à procura de trabalho.”