Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

“A administração da Caixa deveria demitir-se”, defende Marques Mendes

  • 333

Luís Barra

O comentador da SIC defende que os gestores da Caixa Geral de Depósitos foram “completamente desautorizados” pelo primeiro-ministro, sublinhando porém que Passos Coelho está a “queixar-se das pessoas que o seu Governo nomeou”

Luís Marques Mendes defende que, em função da “preocupação” que o primeiro-ministro tem vindo a demonstrar em relação à situação da Caixa Geral de Depósitos, como o Expresso noticiou, a administração da CGD “deveria demitir-se”. “Acho que os gestores da Caixa já não têm mais condições para se manterem em função”, afirmou este sábado, durante o habitual comentário na SIC.

Segundo Marques Mendes, Passos Coelho já deixou claro que “está descontente com a gestão da Caixa”. Por um lado, o comentador defende que o primeiro-ministro tem razão, na medida em que a gestão tem “falta de liderança eficaz”, não tem manifestado “sensibilidade para as pequenas e médias empresas” e não fez nenhuma reforma interna. “Aqui o primeiro-ministro tem alguma razão”, afirma, defendendo, porém, que Passos Coelho não tem “grande autoridade” para fazer essas críticas.

“Esta administração foi nomeada pelo Governo de Passos duas vezes”, justifica. “Passos está a queixar-se das pessoas que o seu Governo nomeou para lá. Tem de ter mais cuidado com as escolhas que faz para não ter de dar o dito por não dito.”

Marques Mendes sustenta que, perante a preocupação demonstrada pelo primeiro-ministro, os gestores da Caixa “foram completamente desautorizados”. “Ou seja, nunca mais são levados a sério.”

A solução, na sua opinião, passa pela demissão da administração. “Estou à espera que apresentem na próxima semana a sua demissão", afirma, acrescentando, no entanto, que acredita que os gestores “vão encontrar todas as razões e pretextos para se agarrarem aos lugares”.

O ex-líder do PSD critica ainda o facto de a oposição não ter reagido, defendendo que deveria estar a questionar Passos. “Se o primeiro-ministro está insatisfeito, por que é que não demite a administração?”

Elogios ao Novo Banco

Outro dos temas do seu comentário deste sábado foi o Novo Banco. Marques Mendes elogiou “a boa gestão e ótimo resultado” do banco, alargando o elogio à gestão de Stock da Cunha. Sublinhou ainda que o sucesso nos depósitos e no financiamento da economia são dois dos pontos positivos.

Sobre o processo de venda do banco, o comentador fez referência ao facto de estar “praticamente a consumar-se” e que até ao dia 7 de agosto serão apresentadas as propostas definitivas de três “candidatos de peso”.

Já o ponto negativo em relação ao Novo Banco prende-se com “as responsabilidades dos antigos gestores e outros responsáveis, porque toda a gente já percebeu que houve fraudes e crimes”. O comentador criticou o papel “tardio” da Justiça, por não haver ainda ninguém acusado. Num caso desta natureza, que tem as consequências que tem, o Ministério Público deveria ter tido uma atuação exemplar sobretudo na velocidade da ação.”