Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Portas: Investimento da Faurecia deve servir de exemplo para Portugal

  • 333

Paulo Portas apontou esta segunda-feira o investimento da faurecia em Bragança,como um exemplo a seguir em Portugal

JOSÉ COELHO / LUSA

Paulo Portas considera que o investimento de 45 milhões de euros da multinacional francesa Faurecia em Bragança, que irá resultar na criação de 400 postos de trabalhos nos próximos dois anos, deve ser uma política a seguir em Portugal

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, apontou esta segunda-feira como exemplo do que Portugal precisa o investimento de 45 milhões de euros da multinacional francesa Faurecia em Bragança, com a criação de 400 postos de trabalho nos próximos dois anos.

"O que está aqui em causa hoje é o que mais precisamos para Portugal", afirmou, na cerimónia de assinatura do protocolo entre o Governo português e a multinacional de componentes para automóveis que vai receber um incentivo do Estado de até 20% do valor do investimento, no âmbito do novo quadro comunitário de apoio.

O novo investimento contempla a extensão da unidade atual, na estrada do aeródromo municipal de Bragança, com um novo edifício de produção que "até 2018 permitirá duplicar as vendas anuais, com a perspetiva de a nova unidade atingir", nesse ano, "um volume de vendas de 375 milhões de euros", segundo dados do grupo.

"Aquilo de que mais precisamos na nossa economia é de investimento, geração de emprego, inovação, reforço das exportações, economia aberta. Tudo isso se verifica numa região que não está no litoral, está no interior de Portugal", apontou o vice-primeiro-ministro. "Não há grande marca (de automóveis) que não tenha peças produzidas com as nossas mãos", enfatizou Paulo Portas

A multinacional revelou ainda que as exportações representam quase 90% da faturação das fábricas portuguesas responsáveis por um total de 3 700 trabalhadores e com o volume de vendas da Faurecia Portugal a crescer 23% em 2014.

O responsável pela Faurecia Portugal, Luís Oliveira, sublinhou que a fábrica de Bragança "tem-se revelado uma unidade fundamental para o grupo" e que a marca é "o principal exportador de Bragança".

O peso da unidade foi realçado pelo presidente da Câmara de Bragança, Hernâni Dias, que indicou que "nove em cada dez euros vendidos no concelho de Bragança são responsabilidade desta empresa".

A multinacional é também responsável pela instalação de novas empresas na zona industrial de Mós que, segundo o autarca, "a curto prazo irão trabalhar para a Faurecia".

Hernâni Dias manifestou ainda a ambição de "no futuro tornar Bragança num verdadeiro 'cluster' do setor automóvel".

O vice-primeiro-ministro aproveitou ainda a ocasião para anunciar que "há muitas empresas a pensar em decisões de investimento" em Portugal, indicando que as candidatas aos 1200 milhões de euros disponíveis no Portugal 2020 são "três vezes superiores" ao valor disponível.

Paula Portas transmitiu ainda uma mensagem de "orgulho" do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, que cancelou a sua presença nesta cerimónia devido à reunião dos chefes de Estado e de Governo sobre a Grécia, em Bruxelas.

A Faurecia é um dos maiores fornecedores mundiais de equipamento automóvel, com seis fábricas em Portugal, um das quais em Bragança, que emprega 720 pessoas.