Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

PS-Madeira contra António Costa

  • 333

António Costa escolheu Bernardo Trindade (à esquerda) como cabeça de lista pela Madeira às eleições legislativas

HOMEM DE GOUVEIA / LUSA

Apresentação de Bernardo Trindade como cabeça de lista pela Madeira feita à revelia dos socialistas madeirenses. Líder regional fala de decisão “à má fila”

Marta Caires

Jornalista

António Costa apresentou Bernardo Trindade, antigo secretário de Estado do Turismo, como cabeça de lista pela Madeira às eleições legislativas, mas a decisão caiu mal entre os socialistas madeirenses. O líder regional fala numa “opção à fila” e garante que a lista do PS-Madeira será conhecida a 17 de julho. O que não é garantido é que seja Trindade o escolhido.

“Esta é uma opção tomada completamente à revelia dos órgãos regionais. Até porque os órgãos regionais – o secretariado, a comissão política e a própria comissão regional – ainda não tomaram posse. Tomam posse a 16 de julho. A lista de candidatos à Assembleia da República será discutida e apresentada a 17 de julho”. Carlos Pereira, o líder regional dos socialistas, não sai do calendário acertado com o secretariado nacional.

Os candidatos dos socialistas madeirenses serão conhecidos nessa altura e o nome do cabeça de lista pode não coincidir com a escolha de António Costa anunciada esta sexta-feira à noite. “Não posso dizer quem será, a escolha cabe aos órgãos regionais.” Carlos Pereira admite no entanto que as opções podem ser diferentes. Se isso acontecer, o secretário geral do PS terá duas listas: a que escolheu e a que foi decidida na Madeira.

Seja qual for o desfecho, o caso não augura nada de bom para o PS. “É um mau princípio, viola o princípio da autonomia das estruturas regionais. Eu, como líder do PS-Madeira, farei como estava previsto, seguirei o calendário. Este problema não é da minha responsabilidade. É o secretário-geral do PS que terá de explicar as motivações, quais os interesses particulares que estão por detrás deste anúncio, desta decisão feita à revelia e à má fila.”

Bernardo Trindade, antigo secretário de Estado do Turismo, ex-deputado do PS na Assembleia Legislativa da Madeira, foi durante anos apresentado como alternativa de liderança aos socialistas madeirenses, um contraponto ao PSD de Alberto João Jardim. Filho do hoteleiro madeirense António Trindade, também ligado ao PS e também visto como o líder certo do PS, Bernardo Trindade teve mais sucesso político em Lisboa e chegou a secretário de Estado do Turismo.

Na Madeira, numa altura em que o PS tenta recuperar do pior resultado eleitoral de sempre, o cabeça de lista à Assembleia da República é essencial e é mais importante a imagem que tem na Região e entre o eleitorado madeirense do que a boa imagem em Lisboa. A tradição, na Madeira, era a do cabeça de lista ser o líder regional dos partidos.