Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

À espera do substituto de Varoufakis

  • 333

Euclides Tsakalotos, ministro Adjunto dos Negócios Estrangeiros, lidera a delegação grega que negoceia com os credores europeus e Fundo Monetário Internacional

FOTO Louisa Gouliamaki / AFP / Getty

Ainda não é claro quem substitui o emblemático ministro das Finanças grego, mas poderá ser Euclid Tsakalotos, coordenador da equipa de negociadores gregos

Luísa Meireles

Luísa Meireles

Redatora Principal

Depois do anúncio da demissão de Yanis Varoufakis, não está ainda claro quem o poderá substituir. Segundo uma fonte governamental grega citada pelo jornal "Ekathimerini" o nome mais provável é Euclid Tsakalotos, que desde 27 de abril é o principal negociador em Bruxelas.

Este professor de Economia é ministro adjunto para as relações económicas internacionais no ministério dos Negócios Estrangeiros do Governo Tsipras. Naquela data, depois de uma tensa reunião do Eurogrupo, em Riga, em que Yanis Varoufakis foi muito criticado, o primeiro-ministro Alexis Tsipras decidiu nomeá-lo coordenador da equipa de negociadores gregos.

Hoje, começam uma série de contactos entre as autoridades gregas e a UE. O presidente da Comissão Jean-Claude Juncker, o presidente do Eurogrupo Dijsselbloem e Tsipras devem voltar a reunir-se nos próximos dias para superar o desacordo, mas nada ainda foi confirmado por parte da Comissão Europeia.

Entretanto, esta noite, a chanceler alemã Angela Merkel e o Presidente francês François Hollande encontrar-se-ão em Paris para discutir a situação na Grécia. Para amanhã está já convocada uma cimeira dos chefes de Estado e de Governo da zona euro. 

Antes, deverá reunir-se o Eurogrupo. Mas a decisão crucial será a que será tomada pelo Banco Central Europeu, de quem depende fornecer liquidez aos bancos gregos.

Posição insustentável
O  ministro das Finanças grego escreveu que correspondeu ao pedido de Alexis Tsipras de pedir a demissão, considerando ser seu "dever" ajudar o primeiro-ministro grego a aproveitar "o capital que o povo grego nos concedeu através do referendo de ontem".

Yanis Varoufakis, de 54 anos, tornou-se ministro das Finanças após a vitória do Syriza nas eleições de janeiro. Professor e recém-chegado à política, e representando um Governo que contrariava os "dogmas" económicos da Europa, irritou muitos dos seus colegas no Eurogrupo.

A situação chegou ao ponto de ainda recentemente a diretora do FMI pedir "adultos na sala" para conversar e outros membros do Eurogrupo lhe chamarem "amador", "jogador" e um "desperdício de tempo" durante a cimeira de Riga. Varoufakis negou.

Todavia, segundo o site "EuObserver", fontes do Partido popular Europeu, os muinistros das finanças deste partido tomaram uma decisão coletiva de o atacar pessoalmente nos media para afetar a sua credibilidade.

Seja como for, o ministro das Finanças grego acabou por ser afastado da posição de principal negociador com os credores, mas manteve-se entre os principais conselheiros de Tsipras.

A relação de Varoufakis era particularmente dificil com o ministro das Finanças alemão Wolfgang Schauble, que aparentemente se mostrou favorável a um afastamento da Grécia do euro. Essa relação poderia complicar ainda mais uma eventual solução para a Grécia.

 

  • Varoufakis demite-se para facilitar as negociações

    A saída de Yannis Varoufakis, poucas horas depois de uma vitória inequívoca no referendo, é absolutamente surpreendente. Mas parece ter como objetivo facilitar as negociações com o Eurogrupo, onde o ministro estava mal visto

  • Yanis Varoufakis, o marxista "errático"

    O ministro das Finanças grego, que hoje pediu a demissão apesar da vitória do "Não" no referendo, atingiu o estrelato e a infâmia este ano, com um estilo urbano descontraído e com os abrasivos ataques contra a austeridade. 

  • A linha de pensamento de Varoufakis

    Um dia após a vitória do "não" no referendo, Yanis Varoufakis renunciou esta segunda-feira à pasta das Finanças. O professor foi entrevistado recentemente pelo  Expresso