Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Secretismo, desvalorização e rapidez na venda da TAP: as acusações de António Costa ao Governo

  • 333

TIAGO PETINGA / LUSA

O secretário-geral do PS não poupa críticas à atuação do Governo no âmbito da privatização da TAP, acusando-o de conduzir o processo "a todo o vapor", com um "suspeitíssimo secretismo" e desvalorizando o valor da companhia aérea 

O secretário-geral do PS, António Costa, criticou o Governo por, na sua opinião, ter desvalorizado o valor da TAP, nas declarações que fazia publicamente sobre a transportadora aérea. "Ao longo de meses, em vez de procurar valorizar a TAP, puxar pelo valor da TAP, andou a multiplicar-se a desvalorizar o seu valor".  

Costa refere-se assim a Passos Coelho, Paulo Portas e Pires de Lima, considerando que estes "quase" diziam, "todos os dias", que "até pagavam para alguém ficar com a TAP", sublinha. "Ora, como podiam vender decentemente a RAP se o próprio vendedor se esforça por dizer que não vale nada?" 

Para além de imputar responsabilidades ao Governo pelo valor da venda da TAP (abaixo do preço que o Sporting irá pagar pelo antigo treinador do Benfica, Jorge Jesus), António Costa critica ainda a rapidez da venda, naquilo que considera ter sido uma operação "a todo o vapor". É, no mínimo, lamentável que este Governo tenha definido como prioridade deste termo de mandato a privatização a todo o vapor de um conjunto de setores estratégicos que receavam que não pudessem ser privatizados após as eleições". 

Garantindo que não ignora "a delicadíssima situação financeira" da TAP, Costa volta a defender a privatização parcial (49%) da empresa, considerando que "é do interesse nacional que pelo menos 51% do capital fique na esfera pública". E acusa ainda o Governo de ter conduzido um processo de privatização com um "suspeitíssimo secretismo", ocultado "dados essenciais" à opinião pública. 

"Verdadeiramente, ninguém sabe como é que estão formados os consórcios, qual é a sua base, e o Governo tem procurado esconder da opinião pública dados essenciais para avaliação desse negócio", disse em Budapeste, à margem de um congresso de socialistas europeus. Sublinhando que não faz juízos de intenções e que parte do princípio que o Governo age dentro da legalidade, Costa não deixa, contudo, de afirmar que lhe dá mais "tranquilidade que a Comissão Europeia diga que vai investigar bem e que vai verificar se foram ou não foram cumpridas as regras".  

  • PS. “É uma vergonha vender a TAP por metade de Jorge Jesus”

    Deputado socialista Rui Paulo Figueiredo acusa Pires de Lima de se esconder nas costas do secretário de Estado dos Transportes e de não dar acesso à documentação sobre a privatização da TAP. Já Sérgio Monteiro desafia o PS a garantir que conseguirá manter os compromissos assumidos por este Governo