Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Garantias da coligação repetem programa de estabilidade

  • 333

ESTELA SILVA

Sem usar a palavra “promessa”, Passos Coelho e Paulo Portas apresentam nove garantias para a próxima legislatura

Filipe Santos Costa

Filipe Santos Costa

Jornalista da secção Política

O PS definiu para a próxima legislatura 21 causas, a coligação apresenta-se com “nove garantias”. A ideia da sessão desta quarta-feira era marcar as diferenças em relação aos socialistas e isso começa logo pela forma e pela terminologia. Sem promessas, com “garantias”, e apenas nove, numa lógica de que menos é mais. Aqui ficam, mas escusa de procurar novidades: tudo o que vai ler nos próximos nove parágrafos tem sido dito e redito por Passos Coelho e Paulo Portas e já estava, implícito ou explícito, no programa de estabilidade que Maria Luís Albuquerque enviou para Bruxelas. 

1. Garantimos que Portugal não voltará a depender de intervenções externas e não terá défices excessivos.

2. Garantimos, no que de nós depender, uma legislatura de crescimento económico robusto e gerador de emprego. A nossa ambição é criar condições para um crescimento económico médio de 2% a 3% nos próximos 4 anos.

3. Garantimos, dentro do que está ao alcance de um Governo, uma legislatura em que a redução continuada do desemprego seja a prioridade máxima. A nossa ambição é que o desemprego em Portugal, baixe, pelo menos, para a média europeia.

4. Garantimos a eliminação progressiva da sobretaxa de IRS e a recuperação gradual do rendimento dos funcionários públicos. A nossa proposta é viável; outras, não o são.

5. Garantimos que as reformas na Segurança Social serão feitas por consenso e res-peitarão a jurisprudência do Tribunal Constitucional. Lançaremos um novo programa ambicioso de redução da pobreza.

6. Garantimos um Estado Social viável e com qualidade. Disso é exemplo um Serviço Nacional de Saúde universal e geral que proporcione um médico de família a todos os portugueses.

7. Garantimos que pugnaremos pela inscrição na Constituição um limite à dívida pública. Assim se defende o presente e o futuro de Portugal.

8. Garantimos que a próxima legislatura dará particular importância às questões da demografia, da qualificação das pessoas e da coesão do território.

9. Garantimos um Estado mais justo e eficiente, queremos uma sociedade com maior autonomia e liberdade de escolha

CLIQUE AQUI PARA LER NA ÍNTEGRA A CARTA DE GARANTIAS