Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Legislativas. PSD e CDS-PP estimam gastar menos 40% que na campanha em 2011

  • 333

PSD e CDS estimam gastar menos 1,8 milhões de euros na campanha das próximas legislativas

Alberto Frias

Ao contrário dos 4,6 milhões de euros gastos nas eleições legislativas de 2011, o porta-voz do PSD, Marco António Costa, estima um gasto de 2,8 milhões de euros nas próximas legislativas.

PSD e CDS-PP prometeram fazer uma campanha para as legislativas de "poupança e pela positiva", avançando que estimam gastar cerca de 2,8 milhões de euros, menos 40% face ao que conjuntamente gastaram em 2011.

O porta-voz do PSD, Marco António Costa, falando numa conferência imprensa conjunta com o vice-presidente do CDS-PP Pedro Mota Soares, esta quarta-feira, adiantou que a coligação PSD/CDS-PP estima uma poupança de cerca 1,8 milhões de euros face às legislativas de 2011, em que gastaram aproximadamente 4,6 milhões de euros.

De acordo com Mota Soares, será uma "campanha poupada e pela positiva".

Os dirigentes falavam na sede do CDS-PP, em Lisboa, à margem de uma reunião entre dirigentes distritais e diretores de campanha de ambos os partidos. 

"O país viveu tempos muito difíceis, temos de ter uma atitude de respeito pelos portugueses que fizeram sacríficos e passaram por tempos difíceis. Para esclarecer as pessoas n é preciso muita propaganda. Aliás, já passaram os tempos de quem fazia propaganda, vendia ilusões, mas que se vinham a verificar impossíveis", declarou Mota Soares.

Questionados relativamente à utilização de 'outdoors', foi Marco António Costa quem respondeu, afirmando que está no terreno "uma rede muito diminuta de 'outdoors'".

"Nós sentimo-nos inferiorizados pelo pequeno número de 'outdoors' que temos pelo país face a outros partidos mas estamos satisfeitos com esse nosso sentimento de inferioridade", acrescentou Marco António Costa.

O dirigente social-democrata e o dirigente centrista falaram tendo como fundo um painel com as cores da bandeira nacional, com os símbolos de ambos os partidos, e em que se lia a frase "Portugal no caminho certo".