Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

Marcelo não gosta de nenhum dos três pretendentes à TAP

  • 333

O comentador diz que as sondagens apontam para um empate técnico entre a maioria e o PS, e lembra que Passos, Portas e Costa, já "estão em campanha eleitoral".

 "Faltam quatro meses para as eleições", mete-se o verão pelo meio, e "as eleições são já amanhã", disse Marcelo Rebelo de Sousa no seu comentário semanal na TVI, que esta semana teve direito a uma 2ª edição à segunda-feira por causa do jogo de domingo do Guimarães-Benfica.

O professor avisou os portugueses que "Passos, Portas e Costa estão em campanha eleitoral" e que tudo o que os líderes dos três principais partidos digam daqui até outubro deve ser enquadrado nesta realidade.

As sondagens apontam para um empate técnico entre os partidos da maioria e o PS e a probabilidade de "não haver maioria absoluta é grande". Para contrariar esta tendência "Passos Coelho vai tentar conquistar votos aos abstencionistas" enquanto o PS, que está ligeiramente à frente nas sondagens do Jornal de Negócios e na do Expresso, a primeira "mais favorável à direita" e a segunda "à esquerda", pode tentar conquistar votos ao Livre, Partido Comunista e Bloco de Esquerda.

TAP merecia outros candidatos à compra
É fundamental que exista "transparência" no processo de privatização da TAP. Recorrendo à metáfora do pai que noutros tempos tentava casar a filha a todo o custo, o professor foi taxativo a afirmar que qualquer destes pretendentes está longe de ser o par ideal.

Escolha-se então a proposta que ofereça "menos problemas jurídicos e melhores condições". Seja em dinheiro ou "aviões". A decisão tem de ser rápida, e é bom que o candidato escolhido não apresente problemas jurídicos porque, caso contrário, será difícil os portugueses perceberem a pressa de concluir a venda da transportadora aéra.

Marcelo lembrou que longe vão os tempos em "que era fácil vender bem a TAP", acrescentando que "a partir de certa altura" se tornou claro que deixara de "ser interessante ter compradores europeus. Poderia ter surgido um comprador vindo do oriente" mas não surgiu.

E a verdade é que se Marcelo fosse o 'pai' da TAP não entregaria a mão da filha nem ao português Pais do Amaral, nem ao brasileiro David Neeleman. 

Na opinião do professor o menor dos males parece ser o brasileiro de origem polaca Germán Efromovich, apesar de a proposta que ele apresentou em 2012 ter merecido muitas críticas do comentador . "Não estou feliz". Mas agora, esta pode ser a "proposta menos má". 

Recorde-se que as três propostas foram divulgadas na passada sexta-feira.