Siga-nos

Perfil

Expresso

Política

A convicção de Cavaco: 2%

  • 333

FOTO ANTÓNIO COTRIM

"Muito em breve ficaremos a conhecer os números do crescimento económico."

Luísa Meireles

Luísa Meireles

Redatora Principal

Depois de pela manhã, em discurso aos empresários noruegueses, ter garantido que a taxa de  crescimento prevista para este ano em Portugal seria de 1,7%, Cavaco Silva afirmou à tarde a sua convicção de que esse crescimento pode ser de 2%.

"De acordo com informações qualitativas que me vão chegando, há cada vez mais economistas a dizer que Portugal pode registar este ano uma taxa de crescimento de 2%", disse o Presidente da República em declarações aos jornalistas em Bergen, a segunda cidade da Noruega e onde termina esta quarta-feira a visita de três dias ao país.

"Quando faço discursos oficiais, menciono sempre previsões oficiais", referiu ainda, não sem acrescentar que a Universidade Católica, através do seu gabinete de analise económica, "já escreveu preto no branco que esperava um crescimento económico de 2%".

"Compreendo essa previsão porque os indicadores qualitativos apontam nesse sentido e muito em breve ficaremos a conhecer os números do crescimento económico no primeiro trimestre deste ano", referiu.

Há algumas semanas, numa visita à OCDE em Paris, Cavaco Silva já tinha mencionado que esperava que Portugal crescesse 2% em 2015, um número que surpreendeu, já que tanto as previsões do Governo como da Comissão Europeia apontam para uma taxa inferior.

Questionado ainda sobre a revisão em baixa da meta do défice feita pela Comissão Europeia, que aponta para 3,1%, enquanto o Governo aposta em 2,7%, o Presidente recusou-se a comentar. "Estamos no segundo trimestre deste ano, vamos aguardar os resultados que surgirão lá mais para o fim", disse.