23
Anterior
MABEL: o robô bípede mais rápido do mundo
Seguinte
Partido de Merkel sofre derrota nas eleições regionais
Página Inicial   >  Atualidade / Arquivo   >   Polícias ponderam greve

Polícias ponderam greve

Sindicato Nacional de Oficiais de Polícia (SNOP) alertou hoje para o risco de setembro e outubro serem meses complicados. "Semana da Indignação dos Polícias" entre 21 e 28 de setembro. Greve é uma hipótese.

Lusa |
Agravamento das condições de vida dos polícias portugueses gera protestos
Agravamento das condições de vida dos polícias portugueses gera protestos / Miguel A. Lopes/Lusa

O presidente do Sindicato Nacional de Oficiais de Polícia (SNOP) alertou hoje para a possibilidade de setembro e outubro serem meses complicados em matéria de Segurança Interna devido ao estado de "indignação geral" vivido na Policia de Segurança Pública devido ao agravamento das condições de vida dos polícias.

"Sem pretender dramatizar porque não é positivo criar alarmismos, o que nos parece é que os meses de setembro e outubro vão ser muito complicados no âmbito da Segurança Interna e no caso concreto da PSP", disse o Comissário Carlos Ferreira referindo-se por exemplo ao facto da maior associação sindical da PSP (ASPP) ter já convocado uma semana de indignação.

Outras estruturas sindicais, frisou, estão na expectativa para ver que sinais positivos o Governo dará para a resolução dos problemas desta força policial, para que a "conflitualidade que se prevê não se prolongue e não atinja níveis difíceis de controlar".

Protestos podem passar por greve 


A Comissão Coordenadora Permanente (CCP) dos Sindicatos e Associações dos Profissionais das Forças e Serviços de Segurança realiza entre 21 e 28 de setembro a "Semana da Indignação dos Polícias", que terá início com um encontro nacional no Porto para avaliar a evolução da situação.

Caso o Governo não "cumpra com a lei" e com os estatutos remuneratórios que já deveriam ter entrado em vigor na PSP e na GNR no ano passado, a CCP vai promover ao longo dessa semana várias ações de protesto, que poderão passar por paralisações e uma manifestação em Lisboa.

A CCP é constituída pela Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP/PSP), Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR), Associação Sócio-profissional da Polícia Marítima (ASPPM), Sindicato Nacional dos Guardas Prisionais (SNGP), Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SCIF-SEF) e Associação Sindical dos Funcionais da ASAE.

A imagem que os oficiais transmitem sempre, adiantou Carlos Ferreira, é de responsabilidade e de ponderação, mas sem deixar de alertar e transmitir para o seio da PSP e para o Governo, "que os problemas dos agentes e chefes são também problemas dos oficiais, que têm a obrigação de lutar pelas condições de trabalho de todos os polícias".

O dirigente assegura que o agravar das condições de vida dos polícias portugueses, que em início de carreira ganham pouco mais de 800 euros e têm a família distante, "pode criar o perigo do próprio efetivo policial sofrer um aumento da conflitualidade interna que os impeça de trabalhar de forma concentrada e com a serenidade necessária para atuarem corretamente nos momentos difíceis, com determinação e sem excesso, porque a instabilidade emocional é também um risco para o cidadão".

Carlos Ferreira acrescenta ainda que num momento em que é muito previsível um aumento significativo da criminalidade, resultante do agravamento das condições de vida, os polícias terão que estar preparados e mentalizados para o combate ao crime e proteção das pessoas e dos seus bens.

Opinião


Multimédia

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 

Crumble. A sobremesa mais fácil do mundo

Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida, especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 23 Comentar
ordenar por:
mais votados
Não atirem os " bonés" para a calçada
Se os "oficiais" atirarem ,como fizeram a Sócrates, os bonés para a calçada, devem ser postos na rua das Forças de Segurança.Não tem categoria para saber vestir uma farda e respeitar a Soberania Nacional.
Indignação Geral?
Policias e Ladroes
Sócrates levou o País à pré-falência
Re: Não atirem os
aguiadois tem um comentário igual na era Sócrates
Re: Não atirem os
Re: Não atirem os
Se não sabem o que é uma farda
Re: Se não sabem o que é uma farda
Señor Aguia...
Os policias postos em sentido:negócios ilicitos
Re: Forças de segurança em "estado de indignação g
Desta vez é que a águia estragou tudo. Dois pesos e duas medidas. Ficou sem qualquer credibilidade. No tempo de Sócrates apoiava essas atitudes, agora já devem ser postos na rua.
Re: Forças de segurança em
Re: Forças de segurança em
Seringador,Toni
Re: Seringador,Toni
É mentira:aguia condenou na era Sócrates
Re: É mentira:aguia condenou na era Sócrates
Dualidades de critérios
Enquanto os políticos detêm as continuadas regalias e benesses as nossas forças policiais continuam com as mesmas dificuldades e desorganização.
Vira o disco e toca o mesmo.
Enfim estou cansado com esta democracia, será que é mesmo uma democracia? Ou só para alguns?
Re: Dualidades de critérios
Forças de segurança em indiganção geral
Infelizmente em indignação começam a ficar todos os portugueses, com exceção de alguns que ainda não abriram os olhos, ou então que são cegos de nascença. Pessoalmente até nem critico o aumento de impostos desde que sejam necessário para o bem de Portugal e dos portugueses. Não deixo no entanto de mostrar a minha indignação pelo que me prometeram com tanta certeza antes das eleições e que agora não está a ser cumprido. Por isso não me surpreende a indignação que está a começar e desde logo por parte daqueles que apoiam este governo como Marques Mendes, Ferreira Leite, Vasco Moura, Marcelo Rebelo de Sousa, além de outros não esquecendo as declarações de elementos do CDS. Já se percebeu que a seguir por este caminho o País vai ao fundo. Todos os dias cortam nos vencimentos e nas regalias do povo e nada nas gorduras do Estado como prometeram. Nunca ninguém mentiu tanto em tão pouco tempo.

http://www.youtube.com/wa...

http://www.youtube.com/wa...
Polícias
Os polícias estão mal pagos. têm tido ministros incompetentes, têm as esquadras a apodrecer, não lhes pagam o subsídio de fardamento, as leis tratam-nos como criminosos, estão alojados em quartos imundos da Mouraria,Alfama e Bairro Alto e ser polícia em Lisboa é heróico.
Tem diminuído a apresentação de candidaturas e , se a situação económica fosse melhor, já não havia polícias.

Dito isto, têm o dever de se saber comportar, como força de segurança armada, e nunca enveredar pela arruaça e por disparates já cometidos, como a entrega das armas. Um exército que entrega as armas merece ser dizimado. É alta traição !!!

Há que ter imaginação, há que obter o apoio da população, há que saber explicar os seus problemas e porque não pedir uma audiência ao Presidente, que não está lá só para cortar fitas!!!
Comentários 23 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub