Siga-nos

Perfil

Expresso

A Beleza das Pequenas Coisas

A ninfa lisboeta que nos encanta com o charme do vintage

  • 333

Camões pediu inspiração às ninfas do Tejo para compor “Os Lusíadas”. Carla Belchior, de 43 anos, considera-se também uma ninfa. Não como as do poeta. Mas uma ninfa do vintage e da baixa lisboeta por inspirar as mulheres e homens que entram nas suas lojas de roupas sem tempo em busca de peças originais e únicas para vestir — algumas delas conservadas como joias. Carla é artista, olheira e uma das principais responsáveis pela roupa vintage estar tão em voga na capital. Habituada ao desassossego do negócio das vendas, descobriu numa recente viagem à Índia que é muito mais feliz sem stresse e sem a maioria dos objectos que a rodeiam. A vida simples é o seu novo horizonte. Esta é uma conversa emocional e desconcertante para ouvir neste episódio do podcast “A Beleza das Pequenas Coisas”

Bernardo Mendonça

Bernardo Mendonça

Entrevista e ilustração

Jornalista

João Santos Duarte

João Santos Duarte

Edição sonora

Jornalista

Carlos Paes

Carlos Paes

Grafismo animado

Infografia

A empresária Carla Belchior abriu-nos a porta do seu apartamento como uma diva, apesar de não se assumir como tal. Lenço em forma de turbante (que cobria a permanente que acabara de fazer) e trajada com um fato exótico, largo e esvoaçante, que lhe dava uma aura de estrela, parecia preparada para o seu close up, como Norma Desmond em Sunset Boulevard. A propósito, Estrela é o nome da filha, de seis anos.

“Não me vesti assim para esta entrevista. Estou sempre com esta roupa quando ando por casa. Numa onda muito prática”, afirma descontraída. E logo pede para lhe comprarem cigarros antes do gravador ser ligado.

Carla é uma oradora cativante e uma apaixonada por pessoas e pelas modas do passado. Tanto que, juntamente com dois sócios, é há dez anos responsável pelas mais populares lojas de roupa vintage da capital: A Outra Face d´A Lua (R. da Assunção, 22) e A Viúva Alegre (R. da Assunção, 19). “Mas atenção que não sou a pioneira do vintage. A Fernanda, do El Dorado, na Rua da Barroca [Bairro Alto] é que é a pioneira [desde os idos de 80]. E tinha roupas maravilhosas. Talvez seja a primeira a conseguir roupas vintage bonitas a preços mais democráticos.”

Carla fala da viagem solitária que fez a Goa, na Índia, uma experiência que a transformou por dentro e mudou a forma como encara a vida. “Nessa viagem houve um momento em que deixei de me preocupar. Vivia numa cabana, com um chuveiro, uma sanita, frente ao mar, com sarongs e um cinto. Percebi que encontrara um ponto de felicidade que nunca tinha conhecido. Era uma solidão positiva. Descobri que sou muito mais feliz sem stresse e sem muitas coisas à minha volta. Não é preciso muito para se viver. A vida está dentro de nós. Acredito no amor e uma cabana. Quero abrandar. E vou trabalhar para isso.”

Recorda o seu passado rebelde de ‘pirata’ e ‘saqueadora’, a descoberta na adolescência do vintage e das roupas usadas da Feira da Ladra, como se atirou ao negócio da venda de usados e como passou fome em Londres depois de ter sido enganada. E conta-nos ainda como aos 29 anos a saúde pregou-lhe um susto, ‘um peripaco’, que a obrigou a reinventar-se, a reerguer-se e a tornar-se ainda mais forte e determinada.

Para ouvir este episódio, basta clicar na seta que se encontra no topo deste texto ('listen in browser') ou descarregar no iTunes ou Soundcloud. Como sempre, este programa conta com música dos Budda Power Blues.

O podcast "A Beleza das Pequenas Coisas" vai de férias durante o mês de Agosto, e regressará em Outubro. Durante os últimos meses foram 36 os convidados que por aqui estiveram à conversa. Aproveite para ouvir as histórias que lhe escapou, ou regressar às histórias de vida que mais gostou. Pode ter acesso a todas as conversas aqui, e ainda ao programa especial que fizemos para assinalar as 30 edições, e que juntou as músicas preferidas dos vários convidados até ao momento.