Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Podcasts Expresso

    Cultura, política, economia, sociedade. Acompanhe com estes podcasts alguns dos melhores debates da rádio e da televisão. Para ouvi-los nos seus dispositivos móveis e no computador, copie e adicione o seguinte URL à sua aplicação de podcasts: http://bit.ly/1TnvM3J

  • Comissão Política

    Podcast da secção de política do Expresso. A análise por jornalistas da redação do jornal de temas da atualidade - e do que não lhes sai da cabeça...

  • A beleza das pequenas coisas

    Conversas pelo país conduzidas por Bernardo Mendonça com as mais variadas personagens que contam histórias maiores do que a vida. Ou tão simples como ela pode ser

  • PBX

    Inês Meneses e Pedro Mexia conduzem um programa sobre a atualidade cultural feito em parceria entre o Expresso e a rádio Radar

  • Conselho de Diretores

    Conselho de Diretores: meia hora para perceber o que acontece e saber o que pode acontecer – e muitas vezes também para rir com as nossas graças e desgraças. É um programa para ouvir e repetir: todas as quintas-feiras pelas 23h30, em direto na Renascença, ou todas as sextas em podcast, a análise da atualidade política, económica e social, com o painel composto por Graça Franco, Henrique Monteiro e Pedro Santos Guerreiro, sob a moderação do jornalista José Pedro Frazão. Uma parceria entre a Renascença e o Expresso

  • F5

    Histórias cheias de gente, contadas pelos repórteres do Expresso que não quiseram, ou não conseguiram, esquecê-las

  • Miguel Guilherme: “Sem cultura, nós transformamo-nos nuns animais. E nós, portugueses, estamos meio cá meio lá”

    A Beleza das Pequenas Coisas

    Na verdade, animais já somos. Embora racionais, podemos sempre ficar mais primitivos e animalescos se não nos educarmos com conhecimento e cultura. É esta a ideia e o alerta do ator Miguel Guilherme: “Nós não temos uma tradição cultural. Somos muito atrasados. Sempre fomos. No 25 de Abril falhámos no ensino e na cultura. Mas é reversível. Tenho esperança. Saímos de um Governo que apertou o cinto e as pessoas estavam agora à espera de algo diferente. O António Costa é um ótimo político, mas às vezes é distraído…” Isto e muito mais para ouvir neste episódio do podcast “A Beleza das Pequenas Coisas”

  • Clara Ferreira Alves: “Toda a gente acha Portugal uma choldra ignóbil. Mas é uma boa choldra onde toda a gente quer viver”

    A Beleza das Pequenas Coisas

    “Choldra ignóbil” saiu da pluma de Eça de Queirós mas é usada por Clara Ferreira Alves para falar do país que não considera tão manso como o pintam. “O português não é suave, faz-se suave quando lhe convém.” A colunista do Expresso e escritora fala sobre Portugal e o mundo, a ligação ao Médio Oriente - que a levou a escrever o primeiro livro, “Pai Nosso” - e o que a inspira a escrever o próximo romance: “Na escrita não me interessa a felicidade, interessa-me o horror.” Para ouvir neste episódio do podcast “A Beleza das Pequenas Coisas”

  • Nuno Artur Silva: “O humorista não derruba a Gioconda, o humorista coloca um bigode na Gioconda”

    A Beleza das Pequenas Coisas

    “Não havia necessidade.” A frase é da mãe de Herman José tomada de empréstimo por Nuno Artur Silva para a personagem “Diácono Remédios”, popularizada por Herman. Uma expressão que calha bem neste processo de afastamento de Nuno Artur Silva da administração da RTP, pela alegada incompatibilidade e conflito de interesses por ter mantido durante estes últimos três anos um vínculo com as Produções Fictícias e com o Canal Q. Uma coisa é certa: o canal público está com mais séries nacionais, mais documentários e ‘milagrosamente’ reinventou o Festival da Canção levando-nos à vitória com Salvador Sobral. Sobre a sua imprevista saída da estação pública, Nuno deixa claro: “Poderei ter cometido algumas ingenuidades. Mas a mulher de César não tem de parecer séria. A mulher de César tem de ser séria. E eu fui sério e transparente do princípio ao fim na RTP.” Sobre o que chama campanha difamatória acrescenta: “Orgulho-me bastante dos inimigos que fiz nestes últimos tempos. Faz-me sentir que estou do lado certo.” Nesta conversa o argumentista, escritor e apresentador, recorda os anos 80 em que foi um jovem anarquista, os anos 90 em que fundou as Produções Fictícias e lançou alguns dos maiores do humor e fala do futuro. “Irei fazer todas as coisas que ainda não fiz”. Para ouvir neste episódio do podcast “A Beleza das Pequenas Coisas”

  • Comissão política #28: A nova neutralidade do país dos Centenos

    Comissão Política

    O ministro dos Negócios Estrangeiros pensou, pensou, e decidiu não retaliar contra a Rússia por causa do caso Skripal, deixando Portugal numa nova neutralidade. Entretanto, o ministro da Cultura está a repensar o modelo de apoio às artes que acabou de ser repensado pelo mesmo ministro da Cultura. Enquanto Castro Mendes pensa e repensa, manda Mário Centeno, que assina os cheques. Somos todos Centeno?

  • Benjamim: “Não procuro a fama, o sucesso. Não ando a correr atrás de visualizações, nem de ser a grande cena para a seguir desaparecer....”

    A Beleza das Pequenas Coisas

    Ele é um dos mais interessantes e promissores músicos da nova geração. É conhecido por Benjamim, já foi Walter Benjamin e, na verdade, chama-se Luís Nunes. Em pequeno estudou música clássica, viveu 4 anos em Londres, onde se formou engenheiro de som, mas decidiu regressar em tempos de crise porque tinha muito para cantar na sua língua. Foi no Alvito, Alentejo, onde criou o primeiro disco de canções pop em português, “Auto-Rádio”, depois andou em digressão durante 33 dias seguidos pelo país a bordo do seu velho Volkswagen. No ano passado lançou novo disco, “1986”, desta vez bilingue, com o inglês Barnaby Keen e adianta que o próximo álbum será mais eletrónico. Além disso, tem produzido discos de outros artistas como Márcia, Noiserv, B Fachada ou, mais recentemente, Joana Espadinha - que concorreu este ano ao Festival RTP da Canção com um tema seu, 'Zero a Zero'. Se nunca escutou Benjamim descubra aqui a sua história e a sua música que é “anarquia", "verdade", "liberdade”. Para ouvir neste episódio do podcast “A Beleza das Pequenas Coisas”

  • PBX: O homem que mudou e expandiu Lisboa para além de horizontes que nem sabíamos que existiam

    PBX

    Inês Meneses e Pedro Mexia

    No PBX (parceria Expresso/ Radar) de Março, o filme de Manuel Mozos, “Ramiro” e a nostalgia de uma certa Lisboa que ainda resiste. Abrimos o livro que tanto inspirou o cinema: Solaris do polaco Stanislaw Lem. E na música, depois das novidades, recordamos The Blue Nile com Let’s go out tonight para lembrar o homem que durante tantos anos convidou Lisboa a sair à noite.

  • Comissão política #27: Governo limpa a floresta e a imagem

    Comissão Política

    Depois dos fogos e dos relatórios sobre os fogos, o que está feito, o que está por fazer, e o que já não será feito a tempo da nova época de incêndios? A operação mediática de sábado passado, com Governo e Presidente a ver limpar as matas, foi uma "ação de marketing", como diz Rio, ou uma "ação de desresponsabilização", como diz Jerónimo? José Sócrates está mesmo de volta, ou isso é conversa de bruxaria? E Mário Centeno precisa de ir à bruxa para conseguir o défice mais baixo da democracia?

  • Soraia Chaves: “Uma mulher que fale abertamente sobre a sua sexualidade ainda é vista como a Eva, a pecadora, a origem do mal…”

    A Beleza das Pequenas Coisas

    Ela é a mulher-desejo do cinema português. Foi a tentadora Amélia no filme “O Crime do Padre Amaro”, a manipuladora Maria, em “Call Girl”, ou a extravagante e erótica Maria Emília, em “A Vida Privada de Salazar”. Nesta conversa a atriz assume ter sido confundida com a personagem Maria, uma prostituta de luxo, quando tentou a sua sorte junto de agentes, produtores e realizadores, em Los Angeles, nos EUA. “Disseram-me que o ideal era beber um copo, jantar e seduzir os realizadores. Fiquei tão chocada com aquilo que me vim embora. E não me deixou vontade de lá voltar”, confessa pela primeira vez em público. Vencedora de um Globo de Ouro, Soraia Chaves acaba de dar corpo à desassombrada poetisa Natália Correia na série “Três Mulheres”, da RTP1, e está prestes a protagonizar a nova telenovela da SIC. Ainda se surpreende como as pessoas criam tanta discussão e assunto acerca das cenas de nudez. “A exposição da alma é bem mais generosa e difícil do que a exposição de um corpo.” Para ouvir neste episódio do podcast “A Beleza das Pequenas Coisas”