30 de Agosto de 2014
Página Inicial   >  Opinião  >   Pedro Mexia

Um policial

 | 

Havia uma feira do livro inesperadamente boa à entrada da praia. Entre curiosidades e pechinchas, comprei "um policial". Ler "um policial" durante o Verão é um clássico, mas eu julgo que os li sempre noutras estações, e quis experimentar. Encontrei, imaginem, um Chandler, "O Bode Expiatório" (1958), sétimo e último romance que ele completou (deixou um outro inacabado). 

 

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Um artista da fuga

 | 

Não entendia bem o meu fascínio por Houdini. Nem em pequeno tive grande interesse por ilusionistas ou prestidigitadores; lembro-me de me oferecerem um "estojo de magia" e de eu não ser capaz de fazer truque nenhum, facto que me parece agora profético. Mas de Houdini gostava, as suas actuações, em documentários televisivos, diziam-me alguma coisa: mas o quê exactamente?

 

 

Para continuar a ler o artigo, clique  AQUI .

 

Perguntas antigas

 | 

O "jansenismo", facção religiosa seiscentista que teve como edifício emblemático a abadia cisterciense de Port-Royal-des-Champs, a sudoeste de Paris, alcançou uma inesperada posteridade. De tal modo que, dois séculos mais tarde, um crítico tão influente como Sainte-Beuve ainda se afadigava com um estudo em cinco volumes chamado "Port-Royal". Passados mais cem anos, Montherlant escreveu uma peça de teatro com esse mesmo título. 

 

 

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Do paraíso

 | 

Podia dizer, se isso fizesse o meu género, que vos escrevo do paraíso: estou de férias, tranquilo, sem ninguém conhecido por perto, e mesmo em frente tenho o desmedido mar da minha infância.

 

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Amigo meu

 | 
Toda a gente se sente legitimada, quando sofre, a decretar anátemas sobre um amor que acabou. E ouvimos com tranquilidade as pessoas garantirem que "o amor é uma ficção". Mas ninguém se atreve a dizer isso sobre a amizade.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Ruínas

 | 

Tudo se transforma e tudo se perde, as coisas também, e as casas. Ninguém sabe o que é o tempo, ou sabemos quando não nos perguntam, mas assim como o vento nas árvores é uma definição de vento, também a decadência das casas é o tempo visível.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Uma guerra

 | 

A Grande Guerra nasceu de expectativas erradas e acabou em resultados terríveis e em equilíbrios frágeis.

Para continuar a ler o artigo, clique  AQUI .

 

 

 

Abdicação

 | 

A rainha dos Países Baixos, o Papa, o rei dos Belgas, o rei de Espanha. Numa época em que o poder e a sua legitimidade são tão contestados, assistimos no último ano e meio a uma inédita vaga de abdicações, entendidas como sensatez ou fraqueza, desistência ou coragem.

 

Para continuar a ler o artigo, clique  AQUI .

 

 

Romain Gary Cooper

 | 

Judeu russo nascido na Lituânia, em 1914, viveu na Polónia e em Nice, combateu em África, ocupou diversos postos diplomáticos europeus e americanos, incluindo o de cônsul em Los Angeles, viajou por todos os continentes e acabou a vida em Paris. 

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Um rei útil

 | 

O rei, durante décadas, foi útil ao seu país e enfrentou adversários perigosos, como o terrorismo ?ou o nacionalismo.

 

 

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI .

Ver mais

Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE
Arquivo

Pub