Anterior
Papa felicita seleção italiana
Seguinte
Platini quer Euro-2020 em vários países
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Desporto  >  Euro 2012  >   Paulo Bento: "Não vou confirmar se Ronaldo pediu para ser o último a marcar"

Paulo Bento: "Não vou confirmar se Ronaldo pediu para ser o último a marcar"

Selecionador falou sobre o Euro-2012, em entrevista à RTP, mas não quis revelar se foi Cristiano Ronaldo a pedir para ser o último jogador a marcar nos penáltis contra Espanha. Sobre os críticos, Paulo Bento disse não ter compreendido o "ataque".
Lusa |
Paulo Bento defendeu a prestação de Ronaldo no Euro-2012
Paulo Bento defendeu a prestação de Ronaldo no Euro-2012 / EPA

O selecionador português de futebol recusou hoje dizer se Cristiano Ronaldo pediu para ser o último a marcar nos penáltis frente à Espanha, nas meias-finais do Euro-2012 de futebol.  
 
"Não vou confirmar nem desmentir se o Cristiano Ronaldo me pediu para ser o último a marcar o penalti. A escolha teve a ver com a estratégia delineada, a forma como o jogo decorreu e com o adversário", disse Paulo Bento, em entrevista à RTP1, quando questionado se a ordem definida para a cobranças das grandes penalidades no jogo das meias-finais com a Espanha.  
 
O selecionador lembrou que Cristiano Ronaldo "foi o primeiro a bater e falhou" na série de penáltis que decidiu a meia final da Liga dos Campeões entre o Real Madrid e o Bayern de Munique e que na final da mesma competição entre o Manchester United e o Chelsea "falhou igualmente, tendo sido o último a bater".  
 
O jornalista contrapôs que, no Mundial 2006, Cristiano Ronaldo foi o último a marcar na série de grandes penalidades frente à Inglaterra, nos quartos de final, e que acertou, mas Paulo Bento replicou que "é fácil agora dizer que se faria diferente ou tentar justificar a eliminação com a Espanha com a ordem dos marcadores de penáltis".

"Posso também argumentar que..."


De resto, Bento destacou a importância do "sentimento dos jogadores" nesses momentos de tensão e responsabilidade, dando o exemplo de situações que viveu em que alguns dos seus comandados lhe pediram para "não serem um dos cincos primeiros a marcarem por não se sentirem confiantes".  
 
"Posso também argumentar que podíamos ter chegado ao último penálti com o nosso melhor especialista para o bater", referiu Paulo Bento, para quem "nada garante que não sucedesse o mesmo" que sucedeu nos penáltis da meia-final da Liga dos Campeões, entre o Real Madrid e o Bayern, quando Cristiano Ronaldo permitiu que Manuel Neuer defendesse.

Ronaldo "merece ganhar a Bola de Ouro"


Analisando o desempenho do capitão da seleção nacional, Paulo Bento
considerou-o "bom dentro da dinâmica coletiva da equipa" e reafirmou a ideia de que "não se pode pretender que Ronaldo resolva todos os problemas", até porque "é humano", independentemente de achar que "merece ganhar a Bola de Ouro, sem precisar do Euro-2012 para isso".  
 
Paulo Bento defendeu a necessidade de "criar condições para a seleção ganhar quando Ronaldo não estivesse nos melhores dias", tal como aconteceu na partida com a Dinamarca, considerando, todavia, que "não fez um mau jogo", e que "apenas teve duas oportunidades para resolver e que ficou marcado por isso".  
 
Sobre as capacidades de liderança de Ronaldo como capitão, elogiou os seus "elevados níveis de profissionalismo", que provou na concentração, em cada treino diariamente", defendendo a ideia de que "todos os colegas
se reveem nele como líder". 

Paulo Bento não põe Manuel José e Queiroz no mesmo saco de Rui Costa e Figo


O selecionador nacional pôs, finalmente, os "nomes aos bois" acerca dos críticos da seleção, identificando os colegas Manuel José e Carlos Queiroz, mas recusando "meter no mesmo saco" os ex-jogadores Rui Costa e Luís Figo. 
 
"Não tiveram [Manuel José e Carlos Queiroz] o comportamento que deviam ter tido, até porque são ambos ex-selecionadores, um que esteve vários anos na Federação e outro não sei se alguns dias ou meses", observou Paulo Bento, quando confrontado com as críticas feitas pelos dois
treinadores acima referidos. 
 
Para Paulo Bento houve "um aproveitamento pouco ético e sensato" por parte daqueles dois colegas, acima de tudo "por terem falado de algo que não conheciam" e por o terem acusado de ser "o responsável pelo planeamento, quando não sabiam como se treinava, como se perspetivava os jogos". 
 
Quanto às críticas ao desfile na despedida de Óbidos ou a visita à Fundação Champalimaud, o treinador rebateu-as, alegando, no primeiro caso que se tratou de agradecer e reconhecer as condições criadas à seleção para desenvolver o seu trabalho, e no segundo que a visita àquela instituição "é mais importante do que qualquer jogo de futebol ou campeonato de Europa". 

Ataque a "colegas de profissão sem conhecimento de causa" 


Em sua defesa, Paulo Bento aludiu aos tempos que se seguiram à sua saída do Sporting, durante os quais escrevia uma crónica num jornal e era comentador televisivo, sem que nunca se tivesse "metido ou intrometido no trabalho da seleção nacional", porque para o fazer "é preciso saber o que se está a criticar". 
 
"Não sei se eles [Manuel José e Carlos Queiroz] foram iguais ou se um apanhou boleia do outro. O que sei é que eu seria incapaz de falar sobre qualquer comportamento sem estar por dentro do que se passou. É o mínimo", disse Paulo Bento, que admitiu "ser criticado, tal como o é o Presidente da República". 
 
No entanto, contrapôs que, "para se criticar, é preciso ter conhecimento dos factos", invocando como exemplo da sua tolerância face à opinião alheia as críticas que lhe fizeram por "Cristiano Ronaldo não ter sido o primeiro a bater os penáltis em vez de João Moutinho". 
 
O que "não admite" é que treinadores que já desempenharam idênticas funções na seleção "ataquem colegas de profissão sem conhecimento de causa".
 
Confrontado com as críticas do diretor de futebol do Benfica, Rui Costa, e do ex-jogador Luís Figo, que visaram a estratégia de Paulo Bento no jogo de abertura do Euro-2012 frente à Alemanha, pelo facto de a equipa não ter mais cedo assumido a iniciativa de jogo e corrido mais riscos, o selecionador separou-as das de Manuel José e Carlos Queiroz. 
 
"Não podemos meter tudo no mesmo saco, apesar de alguns o pretenderem. O que o Rui Costa e o Figo fizeram foi uma análise de natureza técnico-tática. Eles foram jogadores como eu, muito melhores do que eu, e há que ter essa sensibilidade", argumentou Paulo Bento, que justificou, ainda, a decisão dos jogadores não falarem à imprensa após o jogo com a República Checa.
 
O selecionador revelou ter sido "uma decisão exclusiva dos jogadores", que disse "compreender", mas lembrou que houve jogadores que falaram aos órgãos de comunicação social, no flash interview no final da partida.

Rescisão de contrato sem indemnização caso Portugal não se qualifique para o Mundial


Paulo Bento também revelou ter um acordo com a Federação Portuguesa de Futebol no sentido de, caso falhe a qualificação para o Mundial-2014, o seu contrato poder ser "rescindido pela entidade patronal sem qualquer indemnização a pagar". 
 
"É o mesmo acordo que fiz com Gilberto Madaíl quando assinei o primeiro contrato. A partir do momento em que Portugal não tivesse possibilidades de ser qualificado para o Euro-2012, o contrato podia ser rescindido sem qualquer indemnização".


Opinião


Multimédia

Os assassínios, as execuções, as decapitações são as imagens mais chocantes de uma propaganda cada vez mais sofisticada. É a Jihad, que recruta guerrilheiros no ocidente para matar e morrer na Síria. O Expresso seguiu as pisadas de cinco jiadistas portugueses, mostrando quem são e como foram convertidos e radicalizados. E como lutam, como foram morrer - e como já haverá arrependidos com medo de fugir. Reportagem em Londres, no café onde viam jogos de futebol, na universidade onde estudavam e na mesquita onde rezavam. Autoridades e especialistas em terrorismo estão alerta sobre este pequeno mas perigoso grupo, onde corre sangue português - e de onde escorre sangue por Alá.

Desacelerámos a realidade para observar a euforia da liberdade

Ela, Jacarandá, é algarvia. Ele, Katmandu, é espanhol. São linces e agora experimentam a responsabilidade da liberdade: foram soltos esta terça-feira numa herdade alentejana, próxima de Mértola, eles que saíram de centros de reprodução em cativeiro. Foi inédito: nunca tinha acontecido algo assim em Portugal. Estivemos lá e ensaiámos o slow motion.

Geração Z

Mais rápidos, mais capazes, mais solitários, os Z vivem agarrados aos ecrãs, pensam com a ajuda da internet e estão permanentemente preocupados com a bateria do telemóvel. Que geração é esta que nasceu com a viragem do século?

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.


Comentários 30 Comentar
ordenar por:
mais votados
Culto da personalidade
Não me espanta nada que Ronaldo tivesse ficado para último na marcação dos penaltis pois é uma boa estratégia para promover o culto da personalidade brutal que gira à volta dele.

Ainda não repararam que nos resumos televisivos dos jogos decididos a penaltis apenas mostram o último a falhar da equipa perdedora, e o último a marcar da equipa vencedora?

Agora imaginem que Portugal ganhava à Espanha. Quem seria mostrado nas tv's de todo o mundo? Ronaldo, pois claro, que seria apresentado como o jogador que tinha mais uma vez dado a vitória a Portugal o que fortaleceria o culto à sua volta, a candidatura a melhor jogador do mundo e as vendas de merchandising...

Caso as coisas corressem mal, como correram, ele ficava resguardado do falhanço.

Isto de ser último tem os seus riscos pois poderia ser ele a falhar e a eliminar Portugal e então a estratégia is por água abaixo. Mas considerando as possibilidades foi uma escolha inteligente já que as maiores hipóteses seriam de ser ele o "herói" ou ficar protegido da imagem de derrota tal como aconteceu.
fala a inveja mesquinha nacional
Re: fala a inveja mesquinha nacional
Re: fala a miopia sinistra nacional
Parabémns pela sua auto-estima, mas...
Re: Parabémns pela sua auto-estima, mas...
Re: Parabémns pela sua auto-estima, mas...
Re: Parabémns pela sua auto-estima, mas...
Re: Parabémns pela sua auto-estima, mas...
Re: Parabémns pela sua auto-estima, mas...
Re: Culto da personalidade
Re: Culto da personalidade
Re: Culto da personalidade
TAMBÉM NÃO PRECISASAS DE CONFIRMAR!
Quem o afirmou fou o Nani!
O Nani é que afirmou para um jornal desportivo que tinha sido o Ronaldo a escolher quando queria marcar o penalty!
Portanto faz como entenderes!
palavras para que
é o melhor selecionador que podemos ter
Re: palavras para que
Re: palavras para que
Porra!
Quanto é que essa duas nulidade contribuem para PIB?
Portugal faz-me lembrar o Brasil.
Tudo para o bola e a emergências médicas à rasca, porque o dinheiro vai para o futebol.
O semelha não estará preocupado com o desparecimento da Eliza Samudio, que comeu de parcearia com o Bruno goleiro (na cana), ou foi comparsa?
O que se passa PJ?
Não mando bronca sem haver suspeita.
NIM! Nem desmentir!
Paulo Bento: "Não vou confirmar se Ronaldo pediu para ser o último a marcar"
Ou seja, ficamos no que parece e viva a politica de bancada!
A selecção foi o Ronaldo que só foi até onde este poderia ir!
Ronaldo é do Real Madrid e marcar um penálti contra a Espanha seria quase marcar na própria baliza! O romantismo dos magriços do tempo de Eusébio já é pré-história!
Agora quem manda no futebol é o espectáculo as guerras de audiência e os interesses dos supre clubes!

Mas afinal
Ainda não percebi bem qual a finalidade de tantos disparates. Afinal de contas o Ronaldo é bom jogador ou não? Se o que está em causa é a marcação de uma grande penalidade, meus senhores, nem treinador de bancada psso ser.
Re: Mas afinal
Re: Mas afinal
Re: Mas afinal
estibe aquie a ber
foie ume feste de arronbe em biseu coem o prezidente da camera quie pinte a careca oube leitaum e tude maes estoue de rastes e inda qria ir xamare palhaces ao aroporte aos jogadoures da sleçao poruque eles naum fiseram nade de jeite contara a espainha saum ums pahlaces naum tem pelo na benta dantes iames a espaha pro contarabande e dabamoshles nos cornes se foçe precise aquiele cotinho e meme um cotinhe naum marcaum penalte nem pore favore bardamerde naum saum capases de gahare nade numca so ganhem e denhero isso saben bou deixare o rufino bai saire e fexare a gunta bou ber se caco um prezidente da camera qalquer quie me de denhero pra comperare os remedios para a menopauza e bou subire o difecet do senhoure passes cuehlo bou empenhare as galenhas e comperare pates quie debe dare maies lucre e pates beravos cada bez estaum maies com saide pra lisboua quie e taum linde pena quie tem muites pedintes plas rues bou ber se falo coem o senhoure lima o quie matoue a outre senhoura plo quie diçe a minhe comadere pare fazer um desfalquie num banque qualquier pra ajudare os pedintes de lisboua o fatema ta bonite este carte naum ta
ESTE PAULO BENTO, SEM FAZER MELHOR QUE CARLOS QUEI
Este Paulo Bento, sem ter feito melhor que Carlos Queiroz, apesar de tudo à sua vontade, coisa que os senhores da federação n fizeram a Queiroz, q só faltou queimarem-no vivo. Sabotagem, inspeções fora de horas , tudo serviu para o denegrirem. Vem agora Paulinho Bento dizer que o criticaram sem conhecimento de causa. Ora , quem o criticou foi Queiroz que já ganhou mais no futebol português dq Bento nunca ganhará e ao pé de Bento é um mestres. Basta ver quem criou a geração que ganhou 2 campeonatos do mundo e fez escolas de aprendizagem de futebol. O outro treinador que o criticou ganhou mais campeonatos e taças do que sonhou ganhar Bento. Se com estes corriculos estes dois treinadores n têm conhecimento de futebol, o q fariam se tivessem bons conhecimentos. Há pessoas q por terem ganho 10 mil euros no euromilhões se julgam ricos, sem compreenderem q a riqueza está o seu SER. E nisto Bento n é absolutamente nada.
No futebol como na vida...
Este sujeito que apareceu como tapa buracos da seleção, sente-se um "iluminado" imune a críticas ou reparos. Na vida real, naquela em que nós as pessoas normais vivem, a contestação e a discussão livre de ideias é uma prática vivida de democracia. No futebolês não, querem a lei da rolha, quem critica é lançado às feras etc. etc. Quando por todo o lado os políticos e pessoas com reais responsabilidades na vivência dos portugueses, são questionados, têm de prestar contas pelos acto praticados O sleccionador de uma reles modalidades desportiva que nada de nada conquistou, que a única coisa que fez foi juntar uns míseros pontos para uma meia-final, acha-se no direito de condenar aqueles que tiverem uma opinião contrária à sua e dá cobertura aos mais baixos e torpes sentimentos egocêntricos de algumas pseudo vedetas.
Re: No futebol como na vida...
QUEM MANDA AFINAL NA SELECÇÃO?
Bento no caso de ter elegido a sequência de jogadores que marcariam as grandes penalidades, certamente não teria a menor dúvida de assumir a responsabilidade que, na realidade, só a ele competia. Ao lavar as mãos como Pilatos, demonstra, sem sombra de dúvida, que Ronaldo interferiu numa área que não era do seu foro como se fosse o dono da bola e da equipa.
Esta questão apenas interessa para se constatar que as coisas na selecção não serão assim tão lineares e o"orgulhosamente" boas como se diz.
Além disso onde está o génio da equipa e do treinador? Ganharam um jogo, empataram outro e perderam dois!
Resultado: Esfregamos as mãos e dizemos que para o campeonato do mundo é que vai ser! Claro dizemos isso, porém, a verdade, é que ninguém acredita. Com esse tipo de organização, começando pelo folclore inicial, passando pela susbstuições que deveriam ter sido feitas e pelas que foram feitas e não deviam e terminando neste episódio das penalidades que revela falta de autoridade, até eu, apoiante incondicional da equipa das Quinas, tenho sérias dúvidas de que o nosso futuro futoboleiro seja risonho!
CIRCO E PÃO
CONCORDO COM O DUARTE SILVA. NO BRASIL, JOGADORES E TECNICO SÃO MEDIOCRES. COM CERTEZA, NÃO JOGARIAM NEM NA SÉRIE B DO CAMPEONATO BRASILEIRO. SÃO VULGARES, FALTA MALÍCIA E CATIMBA E MUITOS SÃO MEDROSOS, DESPACHAM LOGO A BOLA, POIS ELA QUEIMA NOS PÉS DELES. NÃO DEFENDEM A NOSSA SELECÇAO. FALTA CORAGEM, FORÇA E INTELIGENCIA , PARA MUITOS DELES. UM FIASCO.SERÃO SEMPRE PERDEDORES, DIFERENTE DOS DA ITALIA QUE TEEM CARACTERISTICAS CONTRARIAS. NÃO PERCAM O PRECIOSO TEMPO COM FUTEBOL. LEIAM BONS LIVROS. UM ABRAÇO PARA TODOS OS COMENTARISTAS.
Portugal e o Euro-2012
Conforme noticiou um jornal britanico àcerca de Portugal, e muito bem diga-se, o "núcleo duro" desta seleção, é composto por jogadores oriundos de uma certa academia futebol, situada algures Alcochete,que tem dado grandes, senão os melhores futebolistas portugueses das ultimas décadas.Relativizar essa instituição, é o "mal ou menos", pois neste país, dos três grandes clubes, o tal da academia é um espécie de "filho de deus menor".Mais isso agora não é o mais importante!Onde queria acertar, é o trazer ao de cima, a razão por que tal clube, está falido!A razão não se prende, de facto, pelos valores humanos que dali emanam, mais sim, pelos "tristes" dirigentes, de tão grandioso clube, desde o "apodrecido" JEB, ao "mercenário" PSL, e outros mais, que mostram, que tal instituição, só pode ser gerida por gente de eleição, e não por trauliteiros.....É caso para relembrar a velha "máxima", MAIS VALE UM BOM MANDADOR QUE UM BOM TRABALHADOR.
Comentários 30 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador

PUBLICIDADE

Pub