Anterior
OE2012: Seguro diz que muitos portugueses lhe agradeceram
Seguinte
Mário Soares: abstenção do PS é "ato de simpatia" para com Sócrates
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Economia  >  Orçamento do Estado 2012  >   Passos diz que ouviu observações sobre melhor repartição de sacrifícios (vídeo)

Passos diz que ouviu observações sobre melhor repartição de sacrifícios (vídeo)

O primeiro-ministro afirmou que o Governo tomou em consideração as "observações" que apontavam para a necessidade de uma "melhor repartição dos sacrifícios." Clique para visitar o dossiê Orçamento do Estado 2012
Lusa |
Pedro Passos Coelho falava na conferência de imprensa final da I Cimeira Luso-Moçambicana
Pedro Passos Coelho falava na conferência de imprensa final da I Cimeira Luso-Moçambicana / Miguel A.Lopes/Lusa
O primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, disse hoje que o Governo ouviu as "observações" de quem pedia maior equidade na "repartição dos sacrifícios", justificando as alterações ao Orçamento do Estado (OE) introduzidas pela maioria durante o debate no Parlamento.
Clique para aceder ao índice do dossiê Orçamento do Estado 2012

Pedro Passos Coelho falava na conferência de imprensa final da I Cimeira Luso-Moçambicana, que decorreu em Lisboa, e respondia a questões dos jornalistas sobre os novos valores a partir dos quais incidirão os cortes nas pensões e nos salários da Função Pública em 2012, assim como o aumento das taxas liberatórias em sede de IRS, alterações aprovadas pelo Parlamento na segunda-feira.

"Esta é uma matéria fechada, espero que amanhã [quarta-feira] o Parlamento, na votação final global [do Orçamento] confirme esta abertura que o Governo manifestou para com algumas observações que foram realizadas e apontavam para a necessidade de uma melhor repartição dos sacrifícios", disse o primeiro-ministro.

Passos Coelho acrescentou que "a preocupação do Governo" foi "não fazer um exercício arrogante" e "abrir a algumas sugestões" trazidas "pelo debate social" que se originou em torno do Orçamento do Estado para o próximo ano, mas sempre sem pôr em causa os limites do défice público acordado com os credores internacionais.


Opinião


Multimédia

Cheesecake com manjericão e doce de tomate

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Voámos num F-16

Um piloto da Força Aérea voou com uma câmara GoPro do Expresso e temos imagens inéditas e exclusivas para lhe mostrar num trabalho multimédia.

Salada de salmão com sorvete de manga

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Por faróis nunca dantes navegados

São a salvaguarda dos navegantes, a luz que tranquiliza o mar. Há 48 faróis em Portugal continental e nas ilhas. Este é um acontecimento único: todos os faróis e 1830 km de costa disponíveis num mesmo trabalho. Para entendê-los e vê-los, basta navegar neste artigo.

Parecem casulos onde gente hiberna à espera de ver terra

No Porto de Manaus não há barcos, mas autocarros bíblicos que caminham sobre água. Têm vários andares e estão cheios de camas de rede que parecem casulos onde homens, mulheres e crianças aguardam o destino. E há gente a vender o que houver e tiver de ser junto ao Porto. "Como há Copa, tem por aí muito gringo que vem ter com 'nóis'. E então fica mais fácil vender"

O adeus de Lobo Antunes às aulas de medicina

O neurocirurgião deu terça-feira a sua "Última Lição" no auditório do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, na véspera de deixar o seu trabalho no serviço nacional de saúde.

Jaguar volta a fabricar desportivo dos anos 60

Até ao verão será fabricado um número limitado de desportivos Jaguar E-Type Lightweight, seguindo todas as especificações originais, incluindo a continuação do número de série das unidades produzidas em 1963.

"Naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas"

Mais do que uma manifestação, o 'primeiro' 1º de Maio é recordado como a grande festa da Revolução dos Cravos, quando o povo saiu às ruas em massa e a união das esquerdas era um sonho possível. "O 1º de Maio seria mais uma primeira coisa, porque naquela altura estavam continuamente a acontecer primeiras coisas." Foi há 40 anos.

Este trabalho não foi visado por qualquer comissão de censura

Aquilo que hoje é uma expressão anacrónica estava em relevo na primeira página do "República", a 25 de Abril de 1974: "Este jornal não foi visado por qualquer comissão de censura". Quarenta anos depois da Revolução, veja os jornais, ouça os sons e compreenda como decorreu o "dia inicial inteiro e limpo", como lhe chamou Sophia. O Expresso falou ainda com cinco gerações de 40 anos e percorreu a "geografia" das Ruas 25 de Abril de todo o país, falando com quem lá mora. Veja a reportagem multimédia.


Comentários 2 Comentar
ordenar por:
mais votados
OE 2012: Passos não aproveitou para impôr Justiça


Que pena Passos não ter tido a coragem para acabar com todas as mordomias dos políticos e afins...

Foi uma oportunidade perdida! Outra não surgirá.

A Justiça no comportamento e actividade política, ficou para outro 1º-M, mais corajoso...
Consulta de otorrinolaringologia precisa-se...
para o 1º Ministro que anda a ouvir muito mal. Talvez por linguagem gestual ele compreenda a revolta dos inocentes!

A esquizofrenia já dá para confundir equidade com maquinagem ilusória!

Talvez uma consulta à "filha Solnado" que fizesse bem para entrar em contacto com o além porque o seu futuro está muito nublado.

Pense nisso Sr. Pedro Passos Coelho!
Comentários 2 Comentar

Últimas


Edição Diária 17.Abr.2014

Leia no seu telemóvel, tablet e computador
PUBLICIDADE

Pub