Siga-nos

Perfil

Expresso

  • “Parece que perdeu a cabeça”. As 24 horas de declarações “surreais” de Trump

    Internacional

    Joana Azevedo Viana

    Historiadores e assessores do Partido Republicano estão “perplexos” com a maratona de entrevistas e tweets do Presidente na segunda-feira – entre outras, disse que “seria uma honra” conhecer Kim Jong-un e sugeriu que o Presidente Andrew Jackson ficou muito zangado com a guerra civil e que podia ter evitado o conflito se estivesse no poder (Jackson morrera 16 anos antes)

  • Aberto a sete chaves

    Sociedade

    João Garcia (texto) Helder Oliveira (ilustração)

    Dizem que existe, mas anda nas bocas do mundo. Há quem tenha obrigação de o manter e quem tenha o dever de o quebrar. A Justiça diz que lhe faz falta e os jornalistas queixam-se de que só atrapalha. No Arquivo Expresso desta quinta-feira republicamos o artigo sobre o segredo de Justiça (ou a falta dele...) publicado originalmente na revista do Expresso de 9 de maio de 2009

  • Aberto a sete chaves

    Diário

    João Garcia (texto) Helder Oliveira (ilustração)

    Dizem que existe, mas anda nas bocas do mundo. Há quem tenha obrigação de o manter e quem tenha o dever de o quebrar. A Justiça diz que lhe faz falta e os jornalistas queixam-se de que só atrapalha. No Arquivo Expresso desta quinta-feira republicamos o artigo sobre o segredo de Justiça (ou a falta dele...) publicado originalmente na revista do Expresso de 9 de maio de 2009

  • É igual investigar um qualquer cidadão anónimo ou alguém com poder?

    Diário

    Teófilo Santiago, ex-coordenador superior da Polícia Judiciária

    A justiça é igual para todos. Isto não devia ser uma pergunta. Mas é. E é igual investigar um qualquer cidadão anónimo ou alguém com poder? Como é que se investiga alguém com acesso aos meios de comunicação social e aos melhores advogados? Teófilo Santiago, o investigador da PJ que dirigiu grandes casos como o Aveiro Conection ou o processo Face Oculta (que levantou suspeitas contra Sócrates de atentado ao Estado de Direito nunca investigadas), conta como é investigar o poder. O Expresso convidou figuras do meio judicial para desfazer algumas dúvidas ao longo dos próximos dias. Começamos segunda-feira com Maria José Morgado, prosseguimos com Teófilo Santiago

  • Chamem-me o que quiserem

    Henrique Monteiro

    Numa entrevista concedida ontem, aqui no Expresso Diário, ao jornalista Luís M. Faria, o politólogo holandês Cas Mudde, professor numa universidade americana, completava a frase do título com as seguintes palavras: “Se a sociedade fosse o Twitter, eu já tinha desistido dela”. A frase é certeira, mas tem um problema: é que cada vez mais a sociedade é o Twitter e, apesar de tudo, não podemos desistir dela, da sociedade

  • A mesma empresa que alimenta a fúria dos liberais dá fogo à ira dos conservadores na era Trump

    Internacional

    Joana Azevedo Viana

    Investigação do BuzzFeed apurou que um conjunto de sites americanos de barricadas opostas, apostados no hiperpartidarismo e nas divisões políticas com manchetes incendiárias, pertencem à mesma empresa com sede em Miami. Há muito dinheiro em jogo e o nicho de sites alternativos pode ser muito lucrativo na era da pós-verdade, do clickbait e dos "factos alternativos", aponta o autor de outro estudo sobre propaganda e notícias falsas que ajudaram a eleger Donald Trump