Siga-nos

Perfil

Expresso

  • “A era americana terminou. Entrámos em recessão geopolítica”

    Exame

    Jorge Nascimento Rodrigues

    Vivemos um momento especial. A ordem mundial a que nos habituámos desde os anos 40 do século passado dá sinais de crise. O cientista político norte-americano, Ian Bremmer, batizou este período de transição de “recessão geopolítica” e explica do que se trata em entrevista. O que se espera é que não termine como o anterior, em depressão geopolítica profunda e guerra mundial. Leia mais na grande entrevista da Exame de abril, já nas bancas

  • 2017 – uma odisseia em Lisboa

    Cultura

    Bernardo Mendonça

    Lisboa é uma cidade destruída por um Sol perigoso. As pessoas estão refugiadas num espaço à parte do mundo como o conhecemos. E se seis jovens fossem escolhidos para experimentar um lugar virtual? Este é o enredo de uma série de ficção científica para ser lida semanalmente, de forma gratuita, em formato ebook

  • A Rússia e nós

    Sociedade

    Texto de Filipe Ribeiro de Meneses*

    “As crises da fome e da miséria nunca se resolveram pela anarquia. Nós, que não pusemos luminárias pela salada russa, só podemos encarar com terror a possibilidade de uma salada portuguesa que a tome por modelo e nos conduza a análogas convulsões” “O Dia”, (Lisboa), 22 de maio de 1917

  • O arrufo entre marido e mulher que quase estragou o desembarque da Normandia

    Sociedade

    Mariana Lima Cunha

    Juan “Garbo” Pujol viveu uma vida incrível e ficou para a História como “o melhor agente duplo da Segunda Guerra Mundial”. Sozinho, o jovem espanhol convenceu os alemães de que era um fanático nazi e mereceria espiar para eles – apenas para depois inventar uma rede de 27 espiões imaginária e começar a trabalhar para os britânicos. Com o objetivo de “contribuir para o bem da Humanidade”, conseguiu enganar Hitler e despistar os nazis em relação ao desembarque dos aliados no dia D – mas a sua esposa chegou a pôr o plano em perigo, ameaçando revelar a sua identidade se não pudesse voltar a Espanha (até porque estava farta de comer macarrão, muitas batatas e pouco peixe em terras de Sua Majestade). A história só agora foi conhecida

  • O arrufo entre marido e mulher que quase estragou o desembarque da Normandia

    Diário

    Mariana Lima Cunha

    Juan “Garbo” Pujol viveu uma vida incrível e ficou para a História como “o melhor agente duplo da Segunda Guerra Mundial”. Sozinho, o jovem espanhol convenceu os alemães de que era um fanático nazi e mereceria espiar para eles – apenas para depois inventar uma rede de 27 espiões imaginária e começar a trabalhar para os britânicos. Com o objetivo de “contribuir para o bem da Humanidade”, conseguiu enganar Hitler e despistar os nazis em relação ao desembarque dos aliados no dia D – mas a sua esposa chegou a pôr o plano em perigo, ameaçando revelar a sua identidade se não pudesse voltar a Espanha (até porque estava farta de comer macarrão, muitas batatas e pouco peixe em terras de Sua Majestade). A história só agora foi conhecida