Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Mitos, factos, expectativas: o que se faz mesmo numa viagem de finalistas?

    Sociedade

    Marta Gonçalves

    Mafalda Neto: “As viagens de finalistas são boas mas perigosas”. Pedro Geadas: “Ninguém no perfeito juízo é um vândalo quando está na noite”. Catarina Cunha: “Não é mito: o álcool é realmente barato e as drogas leves são facilmente acessíveis, no entanto está longe de ser decadente”. Catarina Costa: “É a oportunidade perfeita para testarmos a nossa maturidade ”. Priscilla Rosa: “Um segurança andava pelos corredores a tentar criar distúrbios apenas para que os meus colegas se revoltassem e, consequentemente, lhes pudessem tirar a caução”. Cláudia Santana: “Tirando um ou outro excesso, como estragar uma casa de banho ou um grupo de alunos que esteve desaparecido durante algumas horas, não tivemos grandes problemas”. Depois de quase mil alunos terem sido expulsos de um hotel em Espanha, fomos ouvir o que se faz mesmo numa viagem de finalistas

  • Academia das Ciências chama profissionais da escrita para mudarem acordo ortográfico

    Diário

    Alexandra Carita

    A Academia de Ciências de Lisboa (ACL) apresentou na semana passada um documento em que propõe “Sugestões para o Aperfeiçoamento do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa” e que vai ser apresentado na Assembleia da República com vista a abrir um processo de revisão do texto de 1990 que agora vigora. Em entrevista ao Expresso, o presidente da ACL anuncia que vai chamar para um encontro nacional os profissionais da escrita e as empresas que vendem corretores ortográficos para discutirem as mudanças necessárias - está agendado para março. Artur Anselmo de Oliveira Soares explica ainda que dentro da Academia há quem defenda que o acordo deve ser rasgado, mas a grande maioria tem opinião diferente. E deixa críticas ao poder político: “Não nos têm ouvido. Quando o acordo foi aplicado em 2011, nós não fomos informados”