Siga-nos

Perfil

Expresso

  • O cantor Olavo Bilac tem 49 anos. Mas Olavo Bilac foi aplaudido em Lisboa há 101 anos. Saiba como

    Cultura

    Manuela Goucha Soares

    Esta é a história de uma viagem que começa no Rio de Janeiro, passa por Cabo Verde, Lisboa, Paris, Moçambique e Macau. Uma história sobre a força dos jornais, poemas, prosas, crónicas que “foram sempre páginas de arte”, escritas pelo ‘príncipe dos poetas brasileiros”... e de palavras cantadas por outro homem. Entre os dois, um nome: Olavo Bilac

  • Chamem-me o que quiserem

    Henrique Monteiro

    O título é o primeiro verso do poema com o mesmo nome de Fernando Pessoa (Álvaro de Campos). Foi escrito 10 anos depois de Mário de Sá-Carneiro, poeta e seu amigo, ter posto fim à vida. “Olha eu, que tanto amo a morte como a vida/ Se ousasse matar-me, também me mataria”, escreve à frente Pessoa/Campos. “A menos de um milagre na próxima segunda-feira, 3 (ou mesmo na véspera), o seu Mário de Sá-Carneiro tomará uma forte dose de estricnina e desaparecerá deste mundo”, tinha-lhe escrito o amigo a 31 de março de 1916 (na verdade suicidou-se a 26 de abril). Esta dicotomia entre o que se quer matar e mata-se, embora três semanas depois, e o que se quer matar, mas não ousa, é o melhor resumo que encontro das contradições do suicídio e da eutanásia

  • As rosas de Adriana

    Cultura

    Valdemar Cruz

    Adriana Calcanhoto faz do silêncio todo um discurso construído de emoções e sensações raras. As palavras surgem-lhe como se fora uma romagem iniciática. Aí se convocam as raízes maiores de uma língua em construção. A nossa.

  • Um congresso pessoano com sangue novo

    Cultura

    José Mário Silva

    Durante os próximos três dias, as ideias, as palavras e o legado de Fernando Pessoa vão ocupar um auditório da Fundação Gulbenkian, em Lisboa. Oportunidade para ficar a conhecer as mais recentes investigações sobre a inesgotável obra do poeta, feitas tanto por académicos consagrados como por doutorandos ainda a dar os primeiros passos nos círculos pessoanos

  • O amor é bondoso

    Sociedade

    Carolina Reis

    A química, as ciências sociais e a psicologia explicam que o segredo para manter um relacionamento depende da maneira como olhamos para o outro

  • Um cometa breve e fulgurante

    Arquivos Expresso

    Celso Martins

    A obra de Amadeo de Souza-Cardoso regressa a Paris para se reencontrar com uma cidade que o abriu ao mundo moderno e lhe moldou o génio Neste fim de semana em que celebramos a família e nos preparamos para o ano que há de vir, o Expresso republica histórias, reportagens, conversas, narrativas, dúvidas, considerações, certezas e revelações que fizeram de 2016 um ano preenchido. Todos estes artigos são publicados tal como saíram inicialmente

  • O “menino do gavetão” já tem 100 anos e levou quase metade da vida a pôr a prata na ordem

    Sociedade

    Anabela Natário e André de Atayde

    Quando o Expresso falou com Fernando Martinez Moitinho de Almeida este completara 98 anos no dia 18 de maio. Vicissitudes da vida dos jornais e jornalistas, impediram a publicação desta conversa, contudo, seria injusto para o protagonista e para o leitor deixá-la na gaveta. Eis o homem que tem em casa milhares de marcas de prata e que quando olha para uma peça desse elemento químico metálico descobre-lhe a história