Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Prémio Pessoa 2017: estão abertas as candidaturas

    Prémio Pessoa

    Expresso

    O Prémio Pessoa é um prémio concedido anualmente à pessoa de nacionalidade portuguesa que durante esse período - e na sequência de uma actividade anterior - tiver sido protagonista de uma intervenção particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica do país.

  • Trump, um ensaio (de porrada)

    Política

    Clara Ferreira Alves

    As batalhas do feminismo e a emancipação das mulheres no mercado de trabalho, do casamento e do pensamento afinal não liquidaram “Eu, Donald J. Trump”. No último dos cinco ensaios sobre Donald Trump e a sua presidência que estamos a publicar esta semana, Clara Ferreira Alves partilha o conhecimento sobre o Presidente que “só o género autoriza” e analisa “aquele” olhar de “Eu, Donald J. Trump” para as mulheres

  • A ditadura do burburinho (ensaio de Daniel Oliveira)

    Política

    Daniel Oliveira

    O confronto não pode ser entre a América “sofisticada” e a América “tacanha”. E não se pode centrar no burburinho que Trump vai criando. Ele alimenta-se do ressentimento dos desprezados e da espuma dos dias. Muitas coisas que chocam em Trump só são relevantes para os que o recusam, que continuam a falar para si mesmos, cavando um pouco mais o fosso que serve o Presidente. É na frustração da América abandonada, que ele prometeu ajudar e que obviamente trairá, que está a resposta a Trump. Daniel Oliveira assina o quarto dos cinco ensaios que estamos a publicar esta semana sobre o Presidente dos Estados Unidos. O último será assinado por Clara Ferreira Alves

  • Trump, um ensaio (de porrada)

    Diário

    Clara Ferreira Alves

    As batalhas do feminismo e a emancipação das mulheres no mercado de trabalho, do casamento e do pensamento afinal não liquidaram “Eu, Donald J. Trump”. No último dos cinco ensaios sobre Donald Trump e a sua presidência que estamos a publicar esta semana, Clara Ferreira Alves partilha o conhecimento sobre o Presidente que “só o género autoriza” e analisa “aquele” olhar de “Eu, Donald J. Trump” para as mulheres

  • Trump, Dilma e a desgraça dos impeachments (ensaio de Ricardo Costa)

    Política

    Ricardo Costa

    O sistema foi capturado por um populista perigoso, mas fê-lo pelo voto popular. Que saia pela mesma porta e pela mesma mão é a única coisa que me parece desejável. Tudo o resto serão processos mais perigosos que o próprio Trump, escreve Ricardo Costa no ensaio sobre o Presidente dos Estados Unidos. No Expresso Diário desta sexta-feira escreve Clara Ferreira Alves

  • A ditadura do burburinho (ensaio de Daniel Oliveira)

    Diário

    Daniel Oliveira

    O confronto não pode ser entre a América “sofisticada” e a América “tacanha”. E não se pode centrar no burburinho que Trump vai criando. Ele alimenta-se do ressentimento dos desprezados e da espuma dos dias. Muitas coisas que chocam em Trump só são relevantes para os que o recusam, que continuam a falar para si mesmos, cavando um pouco mais o fosso que serve o Presidente. É na frustração da América abandonada, que ele prometeu ajudar e que obviamente trairá, que está a resposta a Trump. Daniel Oliveira assina o quarto dos cinco ensaios que estamos a publicar esta semana sobre o Presidente dos Estados Unidos. O último será assinado por Clara Ferreira Alves

  • Trump, Dilma e a desgraça dos impeachments (ensaio de Ricardo Costa)

    Diário

    Ricardo Costa

    O sistema foi capturado por um populista perigoso, mas fê-lo pelo voto popular. Que saia pela mesma porta e pela mesma mão é a única coisa que me parece desejável. Tudo o resto serão processos mais perigosos que o próprio Trump, escreve Ricardo Costa no ensaio sobre o Presidente dos Estados Unidos. Na quinta e na sexta-feira escrevem Daniel Oliveira e Clara Ferreira Alves

  • O lado louco dos génios

    Sociedade

    Texto Arménio Rego (Católica Porto Business School) e Miguel Pina e Cunha (Nova School of Business and Economics)*

    Mudam as nossas vidas, sonham com o espaço e estão entre as mentes mais brilhantes da atualidade. Os carros de Elon Musk aceleram para o futuro, enquanto ele desenha a experiência humana em Marte. Jeff Bezos está à frente de um gigante da distribuição chamado Amazon e em criança descreveu uma frota de estações orbitais suficientemente grande para toda a humanidade. Steve Jobs foi sempre capaz de imaginar o amanhã para revolucionar o presente, e a Apple é uma das marcas mais conhecidas do planeta. Três génios, três líderes visionários, três homens carregados de defeitos

  • “Antes pobrezinho em Lisboa do que rico em Estocolmo”

    Cultura

    Foi ator, encenador, realizador, argumentista, professor de atores e candidato à Câmara de Serpa. Alentejano, trabalhador e com a cabeça sempre cheia de ideias, desfiou histórias de uma vida cheia num almoço-entrevista com Clara Ferreira Alves que o Expresso publicou em março de 2011 e republica cinco anos depois, no dia em que Nicolau Breyner nos deixou. “Não sei se sou um bom católico, mas não sou um mau cristão”