Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Neste Europeu não se joga à bola, canta-se

    Sociedade

    Marta Gonçalves

    Era espetáculo que movia multidões. Todos os anos, o ritual era quase sempre o mesmo: chegava à hora do Festival da Canção, os mais novos largavam as brincadeiras de rua e corriam para casa. Em frente ao televisor, miúdos e graúdos ouviam com atenção cada uma das músicas e, alguns, desafiavam o sono ao esperar pelos resultados das votações. Nos últimos anos, as audiências do certame caíram. Apesar disso, todos os anos Sérgio, Joana e Jessica não falham a emissão. Todos eles têm 20 e poucos anos e não viveram período áureo do programa, mas isso não os impede de serem fãs. No dia em que arranca mais uma edição da Eurovisão ( e em que Salvador Sobral sobe ao palco dos sonhos), republicamos um texto com a histórias, loucuras, rituais e sofrimento do verdadeiro eurofã

  • Herman e Júlio Isidro. Duas histórias do tempo em que a televisão parava o país

    Diário

    Bernardo Mendonça

    Comemoram-se esta terça-feira 60 anos desde que a RTP iniciou as suas emissões regulares nos Estúdios do Lumiar, em Lisboa, depois de uma fase experimental, na Feira Popular. Muita coisa já foi escrita e dita sobre os primeiros anos da estação pública de televisão, mas há sempre algo mais para contar do tempo em que só existiam dois canais nacionais. Por isso desafiámos Júlio Isidro e Herman José, duas das maiores personalidades da televisão portuguesa, a partilharem um episódio marcante vivido nos bastidores do pequeno ecrã.

  • O que mudou em Portugal nos últimos 30 anos?

    Sociedade

    Manuela Goucha Soares

    Estreia esta quarta-feira a série de televisão “Europa 30”, um documentário em seis episódios que compara a vida dos portugueses antes de 1985 com a de agora. Antes de Portugal entrar na Europa, quem viajasse de carro até Itália tinha de mostrar o passaporte três vezes e usar quatro moedas diferentes para meter gasolina. Bem mais complicado do que agora, não é? Veja o que mudou no dia a dia de todos nós

  • No Europeu deles não se joga à bola, canta-se

    Sociedade

    Marta Gonçalves

    Era espetáculo que movia multidões. Todos os anos, o ritual era quase sempre o mesmo: chegava à hora do Festival da Canção, os mais novos largavam as brincadeiras de rua e corriam para casa. Em frente ao televisor, miúdos e graúdos ouviam com atenção cada uma das músicas e, alguns, desafiavam o sono ao esperar pelos resultados das votações. Nos últimos anos, as audiências do certame caíram. Apesar disso, todos os anos Sérgio, Joana e Jessica não falham a emissão. Todos eles têm 20 e poucos anos e não viveram período áureo do programa, mas isso não os impede de serem fãs. Têm rituais para ver o espetáculo e sofrem quando a sua canção favorita não recebe os pontos mais altos. Há quem já tenha feito uma viagem de 24 horas só para ver de perto a final internacional e até quem tenha ido à inauguração do busto de Madalena Iglésias aqui bem mais perto