Siga-nos

Perfil

Expresso

  • “Sabemos que Lisboa e o sul vão ser afetados por grandes sismos no futuro, não podemos dizer é quando”

    Sociedade

    Marta Gonçalves

    Um sismo de 4.9 foi sentido esta segunda-feira em diversas zonas do país - é dos maiores com epicentro em terra nos últimos anos. Após o abalo, surgiram de imediato diversas questões: haverá mais sismos em Portugal no curto prazo, mais fortes? Há razões de alerta? Fernando Carrilho, chefe de divisão da sismologia geofísica do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), explica o que é possível ou não prever

  • Escravos do rio

    Sociedade

    Raquel Moleiro e Luís Barra

    São mais de mil. Todos os dias apanham no Tejo toneladas de amêijoas japonesas, contaminadas mas que geram milhões. Não para eles. Tailandeses e romenos são controlados por redes que começam no estuário e terminam na Galiza. Pelo caminho há agressões, armas, furtos, falsificações, fraude fiscal, atentados à saúde pública, exploração laboral e suspeitas de tráfico humano

  • Relatos do país das pessoas mais calmas e silenciosas

    Sociedade

    Raquel Albuquerque

    Têm águas cristalinas e são conhecidas sobretudo por serem um paraíso turístico. Mas as Maldivas também têm muitos problemas - e não é só o do caos do trânsito. Os preços da habitação e da alimentação são quase proibitivos e ninguém se preocupa com o que atira para o chão ou para a água. Tatiana vive lá há um mês, apanhando todos os dias, de manhã e à tarde, o barco entre a ilha onde vive e a ilha onde trabalha. Esta é a nona história da segunda série “Em Pequeno Número” que o Expresso começou a publicar há dois anos e que relata a vida de portugueses que vivem em regiões onde quase não os há

  • Relatos do país das pessoas mais calmas e silenciosas

    Diário

    Raquel Albuquerque

    Têm águas cristalinas e são conhecidas sobretudo por serem um paraíso turístico. Mas as Maldivas também têm muitos problemas - e não é só o do caos do trânsito. Os preços da habitação e da alimentação são quase proibitivos e ninguém se preocupa com o que atira para o chão ou para a água. Tatiana vive lá há um mês, apanhando todos os dias, de manhã e à tarde, o barco entre a ilha onde vive e a ilha onde trabalha. Esta é a nona história da segunda série “Em Pequeno Número” que o Expresso começou a publicar há dois anos e que relata a vida de portugueses que vivem em regiões onde quase não os há

  • Os dias tranquilos na África para principiantes

    Diário

    Raquel Albuquerque

    Vivem cerca de 280 mil pessoas na cidade de Windhoek e Sónia Godinho é uma delas. Foi a Namíbia que a escolheu a ela e quando lá chegou há três anos surpreendeu-se com a forma como a capital estava organizada - não era a cidade africana que esperava. Entre os portugueses que já conhece está a Dona Isabel. “Faz os melhores pastéis de nata que já comi fora de Portugal.” Esta é a sétima história da segunda séria “Em Pequeno Número”, que o Expresso começou a publicar há dois anos e que relata a vida de portugueses que vivem em regiões onde quase não os há