Siga-nos

Perfil

Expresso

  • Abraços, galãs e o elixir da juventude: um reencontro de 40 anos

    Sociedade

    Expresso

    Marcelo elogiou as gravatas "à galã". Arnaut lamentou estar a ficar cada vez mais "marreca". E suspeita-se mesmo que Mota Amaral descobriu o elixir da juventude... Veja os momentos mais descontraídos, e divertidos, do reencontro histórico que o Expresso e a Assembleia da República promoveram no Parlamento entre os deputados eleitos há quatro décadas para a Assembleia Constituinte.

  • Tudo aquilo era novo para mim

    Sociedade

    André de Atayde (Vídeo), João Roberto (Grafismo vídeo), José Pedro Castanheira, Paulo Paixão, Bernardo Ferrão e Cristina Figueiredo (Jornalistas), Joana Beleza, André de Atayde e João Santos Duarte (Imagem), Teresa Videira (Produção)

    Foi um ano de revolução na democracia em Portugal. Houve discussões acesas, sentimentos de dever cumprido, de novidade e orgulho por pertencer "ao que de melhor existia na política portuguesa". Quarenta anos depois, o Expresso promoveu um reencontro histórico. Mais de sete dezenas de deputados à Assembleia Constituinte reencontraram-se no Parlamento, numa iniciativa conjunta com a Assembleia da República para assinalar o 40º aniversário das primeiras eleições livres e universais realizadas em Portugal, a 25 de abril de 1975.

  • 26 mil esferográficas, 14 mil urnas e 760 quilos de lacre. Os números de uma eleição histórica

    Multimédia

    Raquel Albuquerque (texto) Carlos Paes (infografia)

    Mais de mil caixas de lacre foram usadas pelas secções de voto que por todo o país, no dia 25 de abril de 1975, recolheram os boletins de milhões de eleitores. O Expresso percorreu os quatro mapas de despesas das eleições para a Assembleia Constituinte, elaborados pelo STAP, para saber quanto dinheiro esteve envolvido, onde e como foi gasto. Cada valor em escudos foi convertido para euros a preços correntes, tendo em conta a inflação.

  • Um novo tempo

    Sociedade

    João Santos Duarte (Edição multimédia), João Roberto (Grafismo vídeo), José Pedro Castanheira, Paulo Paixão, Bernardo Ferrão e Cristina Figueiredo (Jornalistas), Joana Beleza, André de Atayde e João Santos Duarte (Imagem), Teresa Videira (Produção)

    Naquele dia entoou-se várias vezes "A Portuguesa" no Parlamento, com os deputados de pé e as bancadas do hemiciclo a abarrotar de gente. Menos de um ano depois do início dos trabalhos, e apesar de todos os diferendos e tensões políticas, o país tinha finalmente uma constituição. O documento abria uma nova era, que iria conduzir às futuras eleições para o Parlamento e a Presidência da República. Na semana em que passam 40 anos das primeiras eleições livres e universais em Portugal, o Expresso conta-lhe todos os dias as histórias da Assembleia Constituinte, através dos rostos que marcaram uma época de mudança em Portugal.

  • A força das ruas

    Sociedade

    João Santos Duarte (Edição multimédia), João Roberto (Grafismo vídeo), José Pedro Castanheira, Paulo Paixão, Bernardo Ferrão e Cristina Figueiredo (Jornalistas), Joana Beleza, André de Atayde e João Santos Duarte (Imagem), Teresa Videira (Produção)

    Lisboa, 1975. Enquanto dentro do Parlamento os deputados se defrontavam em acesas discussões para chegar a uma nova Constituição, cá fora a revolução seguia nas ruas. Ao Verão Quente do PREC seguiu-se a "fumaça" de um primeiro-ministro que se fartou de "brincadeiras", e um cerco que deixou os próprios deputados reféns do protesto. Na semana em que passam 40 anos das primeiras eleições livres e universais em Portugal, vamos contar-lhe todos os dias as histórias da Assembleia Constituinte, através dos rostos que marcaram uma época de mudança em Portugal

  • A paixão dos argumentos

    Sociedade

    João Santos Duarte (Edição multimédia), João Roberto (Grafismo vídeo), José Pedro Castanheira, Paulo Paixão, Bernardo Ferrão e Cristina Figueiredo (Jornalistas), Joana Beleza, André de Atayde e João Santos Duarte (Imagem), Teresa Videira (Produção)

    "Senhor deputado, você insultou-me!", gritava ela do outro lado das bancadas, sem que alguém pelo meio tivesse ouvido o impropério. Este era um tempo em que cinzeiros e moedas voavam pelo ar, em que todos (ou quase todos...) se diziam socialistas e as ideias eram defendidas com paixão e ânimos à flor da pele. Na semana em que passam 40 anos das primeiras eleições livres e universais em Portugal, vamos contar-lhe todos os dias as histórias da Assembleia Constituinte, através dos rostos que marcaram uma época de mudança em Portugal.

  • Ventos de mudança

    Sociedade

    João Santos Duarte (Edição multimédia), João Roberto (Grafismo vídeo), José Pedro Castanheira, Paulo Paixão, Bernardo Ferrão e Cristina Figueiredo (Jornalistas), Joana Beleza, André de Atayde e João Santos Duarte (Imagem), Teresa Videira (Produção)

    Jerónimo não sabia o que fazia um deputado. Jaime nunca tinha pensado em sentar-se numa bancada parlamentar. Marcelo tinha apenas 26 anos quando foi apanhado no meio da revolução. E Raquel era uma das poucas mulheres num mundo dominado por homens. Na semana em que passam 40 anos das primeiras eleições livres e universais em Portugal, vamos contar-lhe todos os dias as histórias da Assembleia Constituinte, através dos rostos que marcaram uma época de mudança em Portugal.