73
Anterior
Os trabalhos de Manuel Alegre
Seguinte
À política o que é da política
Página Inicial   >  Blogues  >  Antes pelo contrário  >   Os sociopatas

Os sociopatas

A PT pode distribuir os dividendos este ano para escapar aos impostos. Entre os principais accionistas, está Ricardo Salgado, que pediu ao PS e ao PSD que se entendessem para pedir sacrifícios aos outros.  
|

Lembram-se da comitiva de banqueiros à porta de Passos Coelho e Teixeira dos Santos a pedir responsabilidade aos políticos? Lembram-se de como foram tratados como homens de boa vontade que recordavam a políticos desnorteados as suas obrigações para com o País? Lá estava Ricardo Salgado, como porta-voz de todos eles.

Ficámos agora a saber que a PT pode vir a pagar aos seus 15 principais accionistas os dividendos ainda antes de entrar em vigor o novo orçamento, fugindo assim à cobrança de impostos que ele estipula. Entre os principais accionistas está, pois é claro, o BES.

A responsabilidade, as obrigações para com o País, o sentido patriótico... Tudo isso fica para os outros. O Estado pode perder 260 milhões de euros, metade do buraco que ficou para tapar depois da negociação do governo com o PSD.

Que esta gente trate de si, sabendo que de uma forma ou de outra se safa sempre de contribuir para a resolução dos problemas do País, só espanta quem vive noutro planeta. Para quê pagar impostos se os trouxas que trabalham por conta de outrem, os pensionistas, os beneficiários do abono de família, os funcionários públicos, os pobres e a classe média podem dar parte do pouco que têm?

O que me choca é que estes cavalheiros, que tão pouco fazem pelo País e dele tudo exigem, continuem a ser ouvidos como oráculos da Nação. Que tenham a última palavra sobre um orçamento para o qual não contribuem. Que insistam em falar de responsabilidade. Na verdade, tratam-se de sociopatas, incapazes de qualquer gesto de solidariedade e de dever perante a comunidade em que vivem, apenas movidos por uma ganância sem qualquer limite. Põem e dispõem ministros, pressionam o poder político sem se darem ao trabalho de serem discretos, mas não hesitam em saltar do barco quando todos são chamados a dar a sua parte. Espertos são eles. Idiotas somos nós.

Por isso, quando vierem com a conversa da irresponsabilidade da próxima greve geral, espero que ninguém lhes dê ouvidos. Já cansa tanta hipocrisia.


Opinião


Multimédia

Lombinho de porco com broa e batata a murro

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 73 Comentar
ordenar por:
mais votados
Sócrates já não dá ordens à PT?
Sócrates "conduziu" o negócio da PT.Agora era altura do Governo do PS exigir que os lucros ajudassem o País a sair da crise.
Re: Sócrates já não dá ordens à PT?
Re: Sócrates já não dá ordens à PT?
Re: Sócrates já não dá ordens à PT?
O País está falido,mas o Povo ainda não morreu!
Re: Sócrates já não dá ordens à PT?
Re: Sócrates já não dá ordens à PT?
Re: Sócrates já não dá ordens à PT?
Re: Sócrates já não dá ordens à PT?
Este DO é um acéfalo perigoso.
Investidorres e especuladores
Re: Investidorres e especuladores
Mais uma vez DO na "lavagem" do Governo
Tadinho do Governo que foi (e é) influenciado por banqueiros de mau carácter… se não fossem eles (os banqueiros mauzões e anti-patrióticos), o Governo de outra forma teria agido.

Nos últimos dias, tivemos conhecimento de uma série de dados que põem a nu todas as traficâncias governamentais dos últimos anos; com responsáveis identificados. Mas para DO, ainda surge uma réstia de esperança na desculpabilização governamental.

Pois temos uma boa solução: tiremos o dinheiro do BES e deixemo-nos de utilizar os serviços da PT. Há alternativas. A mudança não tem impedimentos constitucionais, como acontece com a governação.

E pensando bem, são “só” 200 e tal milhões. Valor insignificante quando se trata de discutir o OE. Recorda-se? São só, zero vírgula qualquer coisa do OE.

Mas se o Governo discorda e se é patriótico que a massa entre para os cofres do Estado, pois que façam Leis ou Portarias, exactamente como as fazem quando é para cortar benefícios aos mais fracos. Apelar ao patriotismo dá vontade de rir e cheira a bafio salazarento.

DO tenta-nos atirar areia para os olhos, para que não percebamos, que a propaganda de apelo ao patriotismo e a humildade do:”assim não vale”, tipo menino queixinhas e frágil, é conversa da treta. O Governo quer “dar uma” de impotente, perante o mau: que são o BES e a PT, velhos companheiros do Governo nesta política de saque.

Ah desculpe, tinha-me esquecido: o Governo é de esquerda; rapazes amigos de DO
Re: Mais uma vez DO na
Re: Mais uma vez DO na
Re: Mais uma vez DO na
Re: Mais uma vez DO na
Este DO é uma anedota!
Oligaquia ou Democracia?
O que existe em Portugal é uma oligarquia, que é responsável por uma total promiscuidade entre o que é público e privado... Uma oligarquia que é sustenta pelos partidos das mais diversas cores.

Uma oligarquia que tem mãos o poder econômico e político da nação.

- Faz da justiça pano de chão para limpar as suas porcarias.

- Da Assembleia um circo para entreter o povão... Com promessas de que "dessa vez mudamos Portugal".

E o que resulta de tudo isso? Um Portugal sempre adiado que não cumpre o seu destino.
Re: Oligaquia ou Democracia?
Re: Oligaquia ou Democracia?
DO
Esta democracia é para os espertos, por tal motivo a classe média está em extinção havendo maiores diferenças sociais, e a política de finanças está a saque, mas a verdade é que estamos numa política de esquerda?
DO
Pensando mais friamente a PT deu um cheque mate a este governo ao tomar esta atitude de distribuir os lucros.
Sócrates e Teixeira dos Santos tem a corda no pescoço, mas apelo que se entar o FMI estes governantes sejam julgados por lesarem o país.
Re: DO
Re: DO
É sempre ao contrário!
Então, se a Venda foi feita este ano, porque não hão-de distribuir os dividendos já??? Se para o ano baixassem os impostos, estariam a pedir o contrário! Estes Danieis têm que se convencer que o Mundo deles está a ruir... Coitados!
Ecotretas
Embarque para a China!
Estou farto de dizer ao Daniel: vá provar a China, para ver como é bom lá! Agora, tem mais uma oportunidade: peça boleia ao presidente chinês, que vem aí no fim de semana... Ecotretas
Re: Embarque para a China!
Re: Embarque para a China!
Re: Embarque para a China!
Re: Embarque para a China!
Re: Embarque para a China!
Re: Embarque para a China!
Re: Embarque para a China!
Re: Embarque para a China!
Re: Embarque para a China!
Re: Embarque para a China!
Rídicula a perseguição...
Sempre o mesmo. Tanto quanto sei, esta decisão cabe à administração da PT... não aos accionistas, nem a Ricardo Salgado.
Re: Rídicula a perseguição...
Re: Rídicula a perseguição...
Re: Rídicula a perseguição...
DO anda distraido
Os representantes da Caixa Geral de Depósitos no conselho de administração da Portugal Telecom concordaram que a entrega da maior fatia do dividendo extraordinário fosse feita em Dezembro, antes da entrada em vigor do novo regime fiscal.

O Governo já não controla a CGD ou o Governo diz uma coisa para Inglês ver e faz outra?
Re: DO anda distraido
Re: DO anda distraido
Re: DO anda distraido
Re: DO anda distraido
Re: DO anda distraido
Re: Os sociopatas
Dados publicados ontem, dão-nos conta que a banca, tendo perdido cerca de 13% nos lucros face a 2009 (ainda assim conseguindo mais-valias de 4,6 milhões de euros diários), vai pagar, pasme-se, menos 44% de impostos face ao que entregou nos cofres do Estado o ano passado. Num país normal, isto daria que reflectir. Num país normal, a banca seria convocada a colaborar no abatimento do défice externo, na exacta medida em que contribuiu para a existência do mesmo. Um exemplo claro do miserabilismo da nossa banca, reside no seguinte: o Governo tentou impôr, no âmbito do OE e no chamado PEC III, um aumento das contribuições do sector. A banca e as execráveis figuras que a personificam, de Salgado a Ulrich, de Oliveira a Santos Ferreira, logo se ufanou a referir que isso teria necessariamente de ter repercurssões nos clientes. Num país normal, a pessoa que preside a um banco de capitais públicos (CGD) e que, por esta via, desautoriza PM e MFinanças, seria sumariamente posta a andar. Mas não. A CGD há muitos anos que está a soldo dos boys laranja e rosa, num 'pacto de regime' que é demonstrativo do lodaçal em que este país vai submergindo. A bem da criação da riqueza: para alguns...
O grande Oliveira...
Como habitualmente DO ficou muito transtornado com a possibilidade da PT distribuir dividendos aos seus accionistas em 2010. Basta falar-se em lucros privados DO fica alucinado e atira sempre nos mesmos, os empresários, banqueiros, etc.

É bom lembrar a digníssimo DO que a operação de venda da VIVO foi realizada em 2010, por isso é natural que haja distribuição de dividendos aos accionistas neste ano,os tais que investiram na empresa!

Depois a tara de DO com os Banqueiros e empresários é extraordinária, por vezes revela um ódio de morte para com estas "tenebrosas" pessoas que pagam os seus impostos e que promovem o emprego e a criação de riqueza.

Imaginemos que o DO tenha recebido um valor qualquer, um lucro de alguma actividade que possa exercer ( duvido muito que alguma vez faça algo de útil e produtivo) num determinado ano e sabendo que no ano seguinte teria que pagar muito mais as finanças, não faria o mesmo que a PT?

Hipocrisia, cinismo e muita dor de cotovelo... Senhor Oliveira faça algo de produtivo, vá trabalhar no duro para saber o que custa a vida e não esteja pendurado em artigos e comentários políticos demagógicos, não sabe que a INVEJA é coisa muita FEIA??
Re: O grande Oliveira...
Re: O grande Oliveira...
Re: O grande Oliveira...
Re: O grande Oliveira...
Re: O grande Oliveira...
Re: O grande Oliveira...
Re: O grande Oliveira...
Re: O grande Oliveira...
Re: O grande Oliveira...
Re: O grande Oliveira...
Re: O grande Oliveira...
vivam os patriotas!!!
Quem é que ainda não viu o video do "Engº" Sócrates a dizer que as SCUTS é que era e depois a dizer, que afinal as SCUTs não pode ser.....agora percebemos porquê, com 6 milhões de luvas da Mota Engil, só me adimro como é que só se fizeram essas.
Falta agora saber quanto foram as luvas para as outras PPP.
A HIPOCRISIA DA GREVE GERAL
Dezenas de milhar de desempregados deste país, que nunca mais na vida terão emprego por conta de outrém, estarão revoltados pelas reindivicações de muitos indolentes e incompetentes com que se deparam diariamente nas repartições, e que certamente estarão na greve d cartaz em punho.
E estão desempregados, pq simplesmente o modelo empresarial deste País assenta nos baixos salários e nos subsídios.
Mas as empresas Portuguesas, á excepção dos software makers, não serão nunca competitivas, pq despresam a mão de obra qualificada existente no tal exercito de desempregados de que M.Sousa Tavares tanto fala.

Pq é que em vez de convocarem a greve, não fazem uma luta pela inclusão daqueles que querem meia duzia de tostões para comprarem pão para comer?
  Tudo pq a sociedade os ostracisou e ninguém olha por eles.
HIPOCRISIA !!!
Re: A HIPOCRISIA DA GREVE GERAL
Sociopatas ricos e pobres
Se D.O. considera serem sociopatas aqueles que legitimamente escolhem o momento de distribuição de dividendos que lhes proporciona um rendimento líquido mais favorável, como qualificará os milhares de portugueses que se abastecem em Espanha deixando por lá impostos sobre combustíveis e outros bens, que deveria ficar no país que lhes garante a saúde, a educação, a segurança, etc. ? Provavelmente, como é seu estilo, qualificará de sociopatas os que nos seus gastos usaram rendimentos de capital e de pobres carenciados os que usaram prestações sociais recebidas do Estado.
suster o não pagamento
Se uma "coligação negativa" conseguiu fazer aprovar medidas gravosas muito recentemente. Porque não, por iniciativa dum Grupo Parlamentar, suster o não pagamento de impostos, nos dividendos a distribuir pela PT. Não é o OE de 2010 que o permite? Elimine-se a norma! Vamos ver, quem aprova o quê!
Comentários 73 Comentar

Últimas


Pub