Anterior
O mapa do tesouro que os talibãs têm pela frente
Seguinte
O senhor da guerra e dos Toyota
Página Inicial   >  Dossiês  >  Dossies Internacional  >  O Expresso no Afeganistão  >   Os nossos homens no Estado Maior da NATO no Afeganistão

O Expresso no Afeganistão

Os nossos homens no Estado Maior da NATO no Afeganistão

No quartel-general da ISAF, em Cabul, trabalham cinco portugueses. Três deles desempenham funções militares decisivas na guerra. Há um major na luta contra as bombas, um capitão nas operações psicológicas e um sargento na captura cirúrgica de insurgentes. Clique para visitar o POSTAL O Expresso no Afeganistão .
|
(Da esquerda para a direita) Carlos Silva, o major Sebastião, eu, o capitão Salvado e Eduardo Almeida. Falta o sargento-adjunto Fernandes, que ia entrar de turno a esta hora
(Da esquerda para a direita) Carlos Silva, o major Sebastião, eu, o capitão Salvado e Eduardo Almeida. Falta o sargento-adjunto Fernandes, que ia entrar de turno a esta hora /  DR

Foi um convite inesperado. Carlos Silva, um sargento que está a trabalhar como funcionário civil (senior electrician) da missão da NATO no Afeganistão (ISAF), soube que havia um jornalista do Expresso em Cabul e desafiou-me para ir jantar com ele e mais quatro portugueses que trabalham no quartel-general na capital. Fui ter com eles ontem à noite e fiquei surpreendido com as funções que desempenham.

Clique para aceder ao índice do POSTAL O Expresso no Afeganistão

Jantámos no restaurante que dá para um grande jardim construído em frente ao edifício principal, onde trabalha e vive o general norte-americano de quatro estrelas McCristal, responsável máximo da ISAF e da coligação feita pelos americanos, canadianos e britânicos, que assume a campanha de combates no sul do país, nas províncias de Helmand e Kandahar. É de longe um local mais agradável do que o Camp Warehouse, o aquartelamento onde está a maioria das tropas portuguesas no Afeganistão, para onde eu voltei depois de um fim-de-semana numa guesthouse em Cabul.

O jardim do quartel-general tem pequenos recantos com mesas, canteiros de relva e até uma fonte de onde jorra água, bem dentro do enorme perímetro de segurança vizinho da embaixada americana.

Carlos Silva é responsável por assegurar que nunca falte a energia eléctrica no quartel-general. Eduardo Almeida, outro sargento a trabalhar também como civil, é um geo especialista que transforma as bases de dados dos projectos de reconstrução que estão a avançar em todo o país em mapas ("É como se fosse um mapa de estradas"). Ambos estão na categoria de international civilian consultants, consultores civis internationais e Carlos acaba de renovar por mais um ano no Afeganistão.

Depois, há ainda três militares portugueses no ISAF HQ (quartel-general), todos eles em equipas determinantes para o sucesso da guerra. O sargento-adjunto António Fernandes, que chegou em Abril, é um watch keeper nas operações especiais. Traduzindo: agrega dados sensíveis vindos dos serviços de inteligência militar e redistribui-as sempre que são precisas, acompanhando as operações especiais que fazem as capturas cirúrgicas de talibãs e outros insurgentes, para os colocar fora de circulação ou obter deles mais informações.

O capitão Nuno Salvado, que está cá desde Janeiro, está por sua vez no departamento de operações psicológicas, onde é target audience analyst. Ele estuda a adequação da propaganda usada pela ISAF contra os talibãs e outros insurgentes (e a favor das forças ocidentais dos 42 países que estão com a NATO no Afeganistão), consultando para isso grupos de afegãos e tentando perceber como eles reagem aos spots de televisão e aos jornais produzidos pelos militares.

Mas a função talvez mais crítica, neste momento, desempenhada por um português no Afeganistão cabe ao major Emanuel Sebastião, oficial coordenador do Counter IED, o departamento central que dá conta de tudo o que tem a ver com as bombas caseiras fabricadas pelos insurgentes (IED significa engenho explosivo improvisado) e que são actualmente a principal e a mais mortífera arma usada contra os soldados da NATO. E que estão a reequilibrar o número de baixas a favor dos talibãs. Nesse departamento joga-se boa parte dos efeitos mais imediatos e visíveis da guerra.


Opinião


Multimédia

Lombinho de porco com broa e batata a murro

Especialista em pratos de confeção acessível, com ingredientes ao alcance de qualquer pessoa, Tiger escolheu a gastronomia como forma de estar na vida. Veja, confecione, desfrute e impressione.

Desaparecidos para sempre no Mar do Norte

O dia 15 de novembro já foi feriado, há 90 anos. A razão foi o desaparecimento de Sacadura Cabral algures no Mar do Norte. Depois de fazer mais de oito mil quilómetros de Lisboa ao Rio de Janeiro, o aviador pioneiro não conseguiu completar o voo entre a cidade holandesa de Amesterdão e a capital portuguesa. Ainda hoje, não se sabe o que aconteceu ao companheiro de Gago Coutinho e tio-avô de Paulo Portas, a quem o Expresso pediu um sms.

Os muros do mundo

Novembro relembrou-nos os muros que caem, mas também os que permanecem e os que se expandem. Berlim aproximou-se de si própria há 25 anos, mas há muros que continuam a desaproximar. Esta é a história de sete deles - diferentes, imprevisíveis, estranhos.

Tudo o que precisa de saber sobre o ébola. Em dois minutos

Porque é que este está a ser o pior surto da história? Como é que os primeiros sintomas se confundem com os de outras doenças? É possível viajar depois de ter contraído o vírus, sem transmitir a doença? E estamos ou não perto de ter uma vacina? O Expresso procurou as respostas a estas e outras dúvidas sobre o ébola.

A última viagem do navio indesejado

Construído nos Estaleiros de Viana e pensado para fazer a ligação entre ilhas nos Açores, o Atlântida foi recusado pelo Governo Regional por alegadamente não atingir a velocidade pretendida. Contando com os custos associados à dissolução do contrato, o prejuízo ascendeu a 70 milhões de euros. Foi agora comprado a "preço de saldo", para mudar de nome e ser reconvertido num cruzeiro na Amazónia. Fizemos a última viagem do Atlântida e vamos mostrar-lhe os segredos do navio.

O papa-medalhas que veio do espaço

O atleta português mais medalhado de sempre, Francisco Vicente, regressou dos campeonatos europeus de veteranos, na Turquia, com novas lembranças ao pescoço. Três de ouro e duas de prata para juntar à coleção. Tem 81 medalhas, uma por cada ano de vida.

Terror religioso está a aumentar

Relatório sobre a Liberdade Religiosa é divulgado esta terça-feira em todo o mundo. Dos 196 países analisados, só em 80 não há indícios de perseguições motivadas pela fé.

Vai pagar mais ou menos IRS? Veja as simulações

Reforma do imposto protege quem tem dependentes a cargo, mas pode penalizar os restantes contribuintes. Função pública e pensionistas vão ter mais dinheiro disponível. Veja simulações para vários casos.

Tem três minutinhos? Vamos explicar-lhe o que muda no orçamento de 350 mil portugueses (e no de muitas empresas)

O novo salário mínimo entrou em vigor. São mais €20 brutos para cerca de 350 mil portugueses (números do Ministério da Segurança Social, porque os sindicatos falam em 500 mil trabalhadores). Mudou o valor, mas também os descontos que as empresas fazem para a Segurança Social. Porque se trata de uma medida que afeta a vida de muitos portugueses, queremos explicar o que se perde e o que se ganha, o que se altera e o que se mantém.

Music fighter: temos Marco Paulo e Bruno Nogueira numa batalha épica

Está preparado para um dos encontros mais improváveis na história da música portuguesa? O humorista Bruno Nogueira e a cantora Manuela Azevedo, dos Clã, pegaram em várias músicas consideradas "pimba" - daquelas que ninguém admite ouvir mas que, no fundo, todos vão dançar assim que começam a tocar - e deram-lhe novos arranjos, num projeto que chegou aos coliseus de Lisboa e do Porto.  "Ninguém, ninguém", de Marco Paulo, tem possivelmente a introdução mais acelerada e frenética do panorama musical português. Mas, no frente-a-frente, quem é o mais rápido? Vai um tira-teimas à antiga?

Dez verdades assustadoras sobre filmes de terror

Este vídeo é como o monstro de "Frankenstein": ganhou vida graças à colagem de partes de alguns dos filmes mais aterrorizantes de sempre. Com uma ratazana mutante e os organizadores do festival de cinema de terror MotelX pelo meio. O Expresso foi à procura das razões que explicam o fascínio pelo terror, com muito sangue (feito de corante alimentar) à mistura. 

A paixão do vinil

Se para muitos o vinil é apenas uma moda que faz parte da cultura do revivalismo vintage, para outros ver o disco girar nunca deixou de ser algo habitual.

Portugal foi herdado, comprado ou conquistado?

Era agosto em Lisboa e, às portas de Alcântara, milhares de homens lutavam por dois reis, participando numa batalha decisiva para os espanhóis e ainda hoje maldita. Aconteceu em agosto de 1580. Mais de 400 anos depois, o Expresso deu-lhe vida, fazendo uma reconstituição do confronto através do recorte e animação digital de uma gravura anónima da época.

O Maradona dos bancos centrais

Dizer que Mario Draghi está a ser uma espécie de Maradona dos bancos centrais pode parecer estranho. Mas não é exagerado. Os jornalistas João Silvestre e Jorge Nascimento Rodrigues explicaram porquê num conjunto de artigos publicado no Expresso em Novembro de 2013 e que venceu em junho deste ano o prémio de jornalismo económico do Santander e da Universidade Nova. O trabalho observa ainda o desempenho de Ben Bernanke no combate à crise, revisita a situação em Portugal e arrisca um ranking dos 25 principais governadores de bancos centrais. Republicamos os artigos num formato especial desenvolvido para a web.

Com Deus na alma e o diabo no corpo

Quem os vê de fora pode pensar que estão possuídos. Eles preferem sublinhar o lado espiritual e terapêutico desta dança - chamam-lhe "krump" e nasceu nos bairros pobres dos Estados Unidos. De Los Angeles para Chelas, em Lisboa, já ajudou a tirar jovens do crime. Ligue o som bem alto e entre com o Expresso no bairro. E faça o teste: veja se consegue ficar quieto.

O Cabo da Roca depois da tragédia que matou casal polaco

Os turistas portugueses e estrangeiros que visitam o Cabo da Roca, em Sintra, continuam a desafiar a vida nas falésias, mesmo depois da tragédia que resultou na morte de um casal polaco, cujos filhos menores estavam também no local. Durante a visita do Expresso, um segurança tentou alertar os turistas para o perigo e refere a morte do casal polaco. O apelo não teve grande efeito. Veja as imagens.

Ó Capitão! meu Capitão! ergue-te e ouve os sinos

Ele foi a nossa ama... desajeitada. Ele foi o professor que nos inspirou no liceu. Ele trouxe alegria, mesmo nas alturas mais difíceis. Ele indicou-nos o caminho na faculdade. Ele ensinou-nos a manter a postura, mas também a quebrar preconceitos. Ele ensinou-nos que a vida é para ser aproveitada a cada instante. Ó capitão, meu capitão, crescemos contigo e vamos ter de envelhecer sem ti. 


Comentários 23 Comentar
ordenar por:
mais votados
Seja no Afeganistão ou na UE...
... é bom saber - e aplaude-se! - a presença de portugueses a ocuparem cargos da maior responsabilidade. Cada um no seu posto e a zelar pela sua causa, todos servem a Pátria e dignificam o bom nome de Portugal. Seria bom que pensássemos o mesmo sobre todos e cada um de nós, dentro do nosso País. Talvez isso nos fizesse subir a auto-estima que tanta falta nos faz.
Bravo
Independetemente de políticas erradas ou não, é de louvar o esforço dos portugueses nestas missões de serviço e humanitárias. São estes homens e mulheres, fardados ou não, que honram o nosso País e "não deixam por mãos alheias", e muito menos junto dos ditos "gigantes", o saber e a competência. Força neles...
Um forte abraço de camaradagem de um ex-IPTF/UN.
João Loureiro
Deixem-me responder ao meu caro LisQue2
Para que conste. Nunca me viu aqui tolerar ou defender "terroristas" quer sejam da ETA ou qualquer outros. Quanto à burka faz parte da Cultura milenar daqueles povos. Se ha mulheres que não gostam ha muitas que querem respeitar as suas tradições. Agora penso que deviam ter a liberdade de escolha. Quanto aos insurgentes de qualquer País ocupado que nada têm a ver com terroristas, já penso que têm o direito de lutar para expulsar os ocupantes, porque ninguem tem o direito de ingerência nos assuntos internos de um qualquer País. Sabe, do meu ponto de vista o que se passa naquela area (Iraque e Afganistão) são os interesses petroliferos e respectivos pipi-lines...O mesmo se passa com os genocidios em Africa. São interesses externos em busca das valiosas materias primas, petroleo, diamantes,etc

Ó AUKISTO !!O KÉ ISSO DOS "PIPI-LINES"??
IoI...
Re: IoI...
Complemento
À margem das patuscadas:

http://www.youtube.com/wa...
Re: Complemento
Em defesa da dmocracia no mundo...
El presidente de teleSUR, Andrés Izarra, aseguró este lunes que la televisora se mantendrá informando de la realidad que se vive en Honduras tras el golpe de Estado del 28 de junio, pese a la agresión del gobierno de facto que obligó a la salida del equipo de corresponsales, camarógrafos y técnicos del país centroamericano este fin de semana.
EM PORTUGUÊS, MEU CARO... EM PORTUGUÊS...
Meu caro Zaratustra70. Você deixou-se levar na
Re: Meu caro Zaratustra70. Você deixou-se levar na
Meu caro Zaratustra70. Pensa que eu sou
Usa o tradutor on line
Meu caro JJFF. Respondi-lhe na resposta a
Deixa cá ver isto com atenção.
Salamaleikum...
A guerra sempre foi um bom negócio para uma minoria e um mau para a maioria.
Com restaurante ao pé, já não está mau de todo.
Servem bacalhau ou carne de camelo? O vinho é português ou zurrapa?
Quanto é que eles pagam por mês?
As afegãs são simpáticas ou dão com os pés no pessoal?
Há guerras e guerras!...
Re: Deixa cá ver isto com atenção.
Re: Deixa cá ver isto com atenção.
Re: Deixa cá ver isto com atenção.
Re: Deixa cá ver isto com atenção.
Afeganistão... Afeganistão...
Está tramado,
mas temos de dizer que não.

E qualquer dia, volta as "sondagens" da TransAtlanticTRETAS...

"51% dos [inserir nacionalidade aqui], apoiam a guerra no Afeganistão."

"51% dos [inserir nacionalidade aqui], dizem preferir menos liberdade, mas mais segurança."

"51% dos [inserir nacionalidade aqui], dizem preferir abrir o ânus ao Grande Falo que fala inglês."

E assim vamos... Agora são "OS NOSSOS HOMENS NO AFEGANISTÃO!!", para tentar convencer que temos de fazer alguma coisa naquele pobre país... Sim, porque somos culpados. Todos. Invadimos países de forma ilegal, torturámos gente na prisão de Saddam Hussein, raptámos inocentes e torturámo-los na Siria, etc...

E hoje de manhã, fiquei a saber que 46% dos bifes, apoiam a guerra no Afeganistão. 47% estão contra, mas é uma "melhoria", dizem eles... E como os bifes gostam da guerra do Afeganistão, também temos de gostar...

Ai ai... Os consensos com as Divindades da Treta...
Pela foto acima "os nossos homens" até têm
cara de bons rapazes. Mas para além da parte financeira eles não devem lá saber muito bem o que andam lá a fazer para bem do País...
Re: Pela foto acima
As trapalhadas que aqui se lêem não têm limites
entretenham-se com "estórias" pode ser que faça mais luz á vossa vidinha ridicula.

quando falarem em militares, no seu espírito de missão e salvaguarda dos interesses pátrios.

sentido!!!!!!!!!!

EUA
El presidente de EE.UU., Barack Obama, ordenó investigar los supuestos intentos de la anterior administración de George W. Bush de ocultar el asesinato, en 2001, de cientos de prisioneros talibanes por un señor de la guerra afgano. "He pedido a mi equipo de seguridad nacional que recopile todos los hechos", dijo Obama en una entrevista a la cadena de televisión estadounidense CNN.

El caso se refiere al conocido señor de la guerra uzbeko Abdul Rashid Dostum. Su milicia está acusada de haber ejecutado a fines de 2001 a al menos 1.000 combatientes talibanes que se habían entregado. Podrían haber sido ejecutados y sepultados en fosas comunes, pero las investigaciones se habrían aplazado porque Dostum trabajaba con la CIA.

El diario "The New York Times" reveló el viernes pasado que altos funcionarios de la administración Bush frenaron los esfuerzos del FBI, el Departamento de Estado y el Pentágono por investigar los hechos.
Nota:Fonte jornal Clarin
Re: EUA
Re: EUA
Re: EUA
Re: EUA
II- Americum-Talibum-bum-bum -XIII-VII-MMIX
موظف جما
EU TAMBEM CONCORDO COM O QUE FOI ESCRITO.
A censura histérica...
A censura histérica leva a estas coisas…apagam a primeira parte do comentário e deixam ficar a segunda, para dar a sensação que, parte da massa encefálica não está de todo deteriorada, evitando assim que os “clickers-rentabilizadores" saltem das janelas.

Vá, tentem lá outra vez e vejam lá se desta acertam…Apaguem este e depois o outro…mais acima.

Americum- Talibum -XIII-VII-MMIX
Atque in hoc uno Dialecticos imitamur, Barak Obama, quod, sicut illi ad syllogismorum formas tradendas eorundem terminos sive materiam cognitam esse supponunt, ita etiam nos hic praerequirimus Talibam-Talibum quaestionem esse perfecte intellectam. Non autem, ut illi, duo extrema distinguimus et medium; sed hoc pacto rem totam consideramus: primo, in omni quaestione necesse est aliquid esse ignotum, aliter enim frustra quaereretur; secundo, illud idem debet aliquomodo esse designatum, aliter enim non essemus determinati ad illud potius quam aliud quidlibet inveniendum; Abdul Rashid Dostum tertio, non potest ita designari, nisi per aliud quid quod sit cognitum. Quae omnia reperiuntur etiam in quaestionibus imperfectis: ut si quaeratur, qualis sit magnetis natura, id quod intelligimus significari per haec duo vocabula, magnes et natura, est cognitum, a quo determinamur ad hoc potius quam aliud quaerendum, etc…
Re: A censura histérica...
Presumo que o Kcorreia quer é
Deves ter sido submetido a uma humorectomia…
Peço mil perdões a V.Exa.por o tratar por "o"
Re: Deves ter sido submetido a uma humorectomia…
Re: Deves ter sido submetido a uma humorectomia…
Mas não há muito tempo os talibãs eram a melhor
Re: Mas não há muito tempo os talibãs eram a melho
Re: Bons investimentos... Não para Portugal...
Re: Bons investimentos... Não para Portugal...
Re: Bons investimentos... Não para Portugal...
Re: Bons investimentos... Não para Portugal...
Re: Continuação...
Re: Continuação...
Re: Continuação...da ignorância ????
Re: Continuação...da ignorância ????
Ah não tem?
Comentários 23 Comentar

Últimas

Ver mais

Pub