Os Midas de Silicon Valley

Sem o dinheiro deles, o Facebook talvez não tivesse saído do campus de Harvard e a vida do Twitter teria sido tão breve como as suas mensagens.
Os Midas de Silicon Valley 401K

A Forbes divulgou a sua lista dos investidores mais visionários de Silicon Valley.  

O amigo de Zuckerberg. Jim Breyer só tem razões para sorrir. Com a sua empresa de investimento Accel Partners, é o maior accionista do Facebook, a seguir de Marc Zuckerberg, com uma participação de 11% e ainda tem 1% em nome próprio. Investiu 12,7 milhões de dólares na rede social quando ela ainda dava os primeiros passos entre os estudantes de Harvard. A sua fortuna está avaliada em 1,1 mil milhões de dólares

O veterano das startups. Marc Andreessen esteve com o Twitter e o LinkedIn desde os primeiros momentos (que apoioi com capital semente), através da sua empresa de investimento Andreessen Horowitz, mas também tem participações no Skype, Groupon e Zynga. É já considerado um veterano nas startups online, uma vez que o seu interesse neste mercado começou nos anos 90, quando foi um dos criadores do Mosaic.

O uber-investidor. Reid Hoffman já é considerado pela Forbes como 'uber-investidor' - já ultrapassou o status de 'super' - pelo facto de ter participado na criação do PayPal, fundar o LinkedIn e investir em 80 empresas tecnológicas ainda na fase de startup, entre as quais, o Facebook, Zynga, Digg e Flickr. É um dos sócios do fundo de investimento Greylock e tem uma fortuna avaliada em 1,8 mil milhões de dólares, colocando-o como o 719.º homem mais rico do mundo.

O apostador certeiro. David Sze também integra o Greylock e já fez várias apostas certeiras. Apoiou o LinkedIn desde o início - tinha 16% do seu capital quando a rede social fez o seu IPO o ano passado - também vendeu os 14% que detinha na Pandora no seu IPO, e soube identificar outras oportunidades milionárias no Facebook, Digg, Seven e VUDU.

O vendedor de empresas. Peter Fenton está com o LinkedIn desde que a empresa contava apenas com um reduzido grupo de 25 pessoas e hoje é membro do seu conselho de administração. Tem um talento inato para farejar empresas que se vão tornar apetecíveis para as gigantes da tecnologia. Em 2009, conduziu as vendas da SpringSource à VMW por 420 milhões de dólares, da Coremetrics à IBM, da Reactivity à Cisco e da Zimbra à Yahoo!.