Siga-nos

Perfil

Expresso

Direito de Resposta

Carta de Rui Cavaleiro à Direcção do Expresso

Direito de resposta ao artigo de opinião publicado no dia 30 de Março de 2010, no site do Expresso, da autoria de Henrique Raposo.

Caro Sr. Henrique Raposo

Cada um de nós é livre de possuir e expressar a opinião sobre determinado assunto, no entanto, quando não se faz o trabalho de casa é melhor não publicar certas palavras para não se cair no ridículo.

Cumpre-me informar:

 

Referente ao ponto I

Nenhum Enfermeiro poderia ir de férias nos moldes que o Sr. Quer embustear, pois os turnos da Noite e da Manhã de segunda-feira (dia 29 de Março) e Manhã e Tarde de quinta-feira (dia 1 de Abril) não estavam contemplados pelo pré-aviso de greve, justamente por razões económicas para alguns e talvez, também, para evitar que alguns idiotas fizessem considerações erróneas sobre o deliberado.

 

Referente ao ponto II e III

Os profissionais de Enfermagem não são subalternos de ninguém, a profissão é autónoma e com corpo científico bem delineado, "... exercendo a sua profissão com autonomia técnica e científica..." (Estrutura da Carreira, artigo 8º do decreto-lei nº 248/2009 de 22 de Setembro).

"... a responsabilidade do médico é obviamente, superior à do enfermeiro". Por favor actualize-se, "A carreira especial de Enfermagem é classificada como de grau 3 de complexidade funcional". (Grau de complexidade Funcional, artigo 11º do decreto-lei nº 248/2009 de 22 de Setembro).

Reivindica-se o pagamento justo valor de técnico superior/licenciado.

 

Referente ao ponto IV

Sinto-o tão ofensivo, frustrado e rancoroso que não é merecedor de consideração nem resposta, remeto apenas para o ponto II e III.

 

Rui Cavaleiro

 

Artigo de opinião de Henrique Raposo: A lata dos enfermeiros, segunda parte